quarta-feira, 24 de outubro de 2007

Patético

Patético
Natacha Maranhão escreveu muitas das melhores matérias que já li. Sempre digo que ‘quando eu crescer, quero ser igual a ela’. E digo isso não apenas pelo brilhantismo das reportagens especiais que ela escreve para a ‘piauí’ (melhor revista de jornalismo literário do Brasil) ou no ‘Overmundo’ (site de cultura brasileira mais conhecido do país), mas pela competência que tem para transformar qualquer assunto (velório, campanha de vacinação, seminário sobre legislação de trânsito) no texto mais delicioso que alguém poderia redigir.

Para minha surpresa, um perturbado (sim, isso é um pré-julgamento... mas uma pessoa dessas não pode ser normal) chegou hoje à redação chamando a Nat de IRRESPONSÁVEL, VENAL E COMPRADA. Como assim, doido??

Ela fez uma matéria sobre clínicas de hemodiálise. Um de seus entrevistados, Rubens Nery Cota, referência nacional em nefrologia, criticou uma clínica de Picos. A Nat não citou o nome do tal estabelecimento; sequer deixou a entender (nas entrelinhas, mensagens subliminares ou sinais de fumaça) que se tratasse da clínica do "perturbado". Mas a carapuça serviu e ele se deu ao trabalho de viajar de Picos a Teresina tão somente para ofendê-la.

Que diabos é isso??? Ninguém tem o direito de fazer o que ele fez com ela. Foi infundado, constrangedor e gratuito. Patético!!!

6 comentários:

Natacha disse...

e tu é muito é linda!!!
e eu fico é com vergonhas...
linda!!

Carol disse...

Oi, Vanessa! Não te conheço, mas sou amiga da Naty e concordo com tudinho que vc disse. Parabéns pelas palavras!!

Sam disse...

uia, eu conheço e adoro a Naty também...adorei seu blog!
bjs

Ju Steck disse...

Também sou fã da Naty, também sou jornalista e também não entendo como um LOUCO faz isso!

Morrer [de Rir] ... disse...

é.. ngem merece gente assim!!! a Nat é tudo que eu quero ser quando crescer... se ela fosse mais alta, ia ser perfeita.!!!


=****

Carlos Rocha disse...

Parabéns pelo texto! Não se pode abaixar a cabeça para pessoas idiotas como esse cara aí não.
Abraços,