quarta-feira, 31 de outubro de 2007

Pela descriminalização do aborto

Pela descriminalização do aborto

Por que nem tudo que se conversa em corredor de Universidade é besteira...

Outro dia eu conversava com uma colega sobre o motivo de a discussão sobre a descriminalização do aborto ainda não ter chegado às grandes mídias, aos bancos de praça, às portas de prefeituras... conclusão imediata: quem sofre com aborto é pobre. Pode parecer uma visão simplista (e realmente o é), mas a menina de classe média alta faz aborto em uma clínica bacana e, por uns R$ 2.000, “tira o menino” com “segurança”. Já a coitada da favela faz aborto em qualquer espelunca (isso quando não faz aquelas receitas caseiras e perde o filho no sanitário de casa) e nas mais precárias circunstâncias.

Temos de deixar de ser provincianos (sem querer ofender as convicções morais - ?? – de quem quer que seja) e observar que ninguém deixa de fazer aborto porque é crime. As pessoas desistem de fazer interrupções de gravidez por não terem dinheiro, por medo, mas não porque a legislação proíbe.

A discussão do aborto deve ser tida como caso de saúde pública. É algo acima “daquele papo feminista” de defesa da liberdade individual de a mulher decidir o que faz com o seu próprio corpo. Com a descriminalização, ninguém é abrigado a abortar. Porém, aquelas que acham que é melhor não ter o filho podem fazê-lo em condições adequadas. Claro que, paralelamente a isso, têm de ser reforçadas as ações voltadas para a educação sexual, para a prevenção de gravidezes indesejadas e para o controle de natalidade.

Todo mundo fala que os maiores problemas do Brasil são falta de investimentos em educação, corrupção... mas quase ninguém critica o fato de as grandes questões sociais não serem discutidas no seio da (oras!) sociedade. Tá, sei que o Brasil segue um regime político representativo e que é para isso que servem os parlamentares e gestores públicos. Entretanto, isso não quer dizer que se deva restringir as grandes decisões nacionais a apenas essas pessoas. “Assim não vai”...

Um comentário:

dalyne disse...

discordo?? mas só discordo do primeiro parágrafo....

não sou contra a legalização da prática, sou CONTRA o aborto! mas como vc mesma disse, isso nenhuma legislação vai controlar...

Xêru!