segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Teresinense, o satisfeito!

82% dos teresinenses aprovam a Prefeitura Municipal.
86% dos piauienses aprovam o Governo do Estado.
90% dos piauienses aprovam o Governo Federal.


Logo, quem mora em Teresina deve morar no céu, né? Em uma cidade, um estado e um país cujas administrações possuem aprovações populares estratosféricas, só se pode viver muito bem.

Tenho sorte!

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

Em 2010 eu vou...


  1. Aprender a coreografia de 'Single Ladies', da Beyoncé. Se eu conseguir, sou capaz de qualquer outra coisa nessa vida.
  2. Ter mais paciência. Ter mais paciência. E fazer um esforço para ter um pouquinho mais de paciência.
  3. Comprar meu apêzinho.
  4. Alimentar-me melhor (tah bom, pai?).
  5. Passar cinco dias em Santo Domingo, República Dominicana (é só o dobro do preço de ir para a Argentina, mas super dá para parcelar em trocentas vezes).
  6. Livrar-me dessa vocação para 'bagunças organizadas'.
  7. Ir mais ao Ar Livre em noites de Benício Bem (tah, Charlie?).
  8. Ser menos rabugenta e estressada.
  9. Voltar a dançar (é o primeiro passo para alcançar o objetivo 1).
  10. Ser mais forte que bolsas e sapatos.
Ia colocar "ser hexacampeã mundial de futebol", mas isso não depende de mim.

Bjos!!

;)

Retrospectiva

Um post interno-pseudo-auto-reflexivo...

2009:

1. Ano novo, vida nova! Será? Coqueiro dando boas vindas ao meu 2009.

2. Carnaval do povo fêi - Au, Au, Au, carnaval na Marechal!! Salgueiro (é o CALDEIRÃO) campeão!!!

3. Começo de um namoro que já tinha começado há tempos - com mais doação e sem medo.

4. DRT.

5. 23 anos.

6. Trabalho.

7. Adeus, Uespi. Pra valer, dessa vez!

8. Reserva e introspecção.

9. Seis meses passam mesmo voando, assim como chegam as mudanças.

10. Férias. Uruguai. Argentina. Itarema.

11. Colação. Mimos de mãe.

12. MENGÃO campeão!! E cadê 2010?? Chega logo, chega logo!

Somente Sarah




SARAH MENEZES GANHA PRÊMIO BRASIL OLÍMPICO.

SARAH MENEZES É A MELHOR ATLETA OLÍMPICA DO BRASIL.



Quem já teve a oportunidade de estar perto da judoca Sarah Menezes certamente pôde perceber que ela é uma pessoa bastante reservada. Já estive com a Sarah várias vezes, mas nunca passei do cumprimento ou do 'parabéns'. Apesar disso, é incrível a cumplicidade imediata que se parece ter em relação a ela.

Talvez por respeito à história da Sarah, talvez por acompanhar seus resultados como atleta, o fato é que é impossível não se emocionar com cada conquista dela. Impossível não ficar arrepiada ouvindo Sarah dizer, ao receber o prêmio de Atleta do Ano, que 'nasceu e se criou no Piauí' e que 'não precisou sair do Piauí para ser uma vencedora'.

Creio que esse sentimento vá além do orgulho de ser piauiense. Creio que essa emoção seja a manifestação da felicidade de ver alguém que, contra todas as adversidades (da ausência de apoio governamental e/ou privado às questões pessoais), consegue ser exemplo em um estado pobre e carente de ídolos.

E sobre a polêmica em torno da votação popular para a escolha da Sarah como Atleta do Ano no Prêmio Brasil Olímpico, não há muito a ser dito. Antes da votação popular, Sarah, assim como a favorita Poliana Okimoto (maratona aquática) e Natália Falavigna (taekwondo), passou pelo crivo da confederação de seu esporte e pela peneira do Comitê Olímpico Brasileiro. Não há como desmerecer a escolha da piauiense. É aquele papo de jurado de programa de TV: "Inicialmente, gostaria de dizer que todas mereciam ganhar".

Se Poliana merecia mais que Sarah, e se o voto popular aberto e ilimitado define o atleta mais popular e não o melhor atleta... isso é outra história. A verdade é que o povo do Piauí fez por merecer.

Parabéns, Sarah Menezes!

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Amizade desinteressada

Nada como ter amigos; nada como amizades maduras, puras e desinteressadas.

Um exemplo?

Biá: 'Vanvys, pq tu vai dar uma camiseta do Jairo (http://www.usedisco.blogspot.com/) para a Dalyne e não vai dar p'ra mim? Eu te amo muito mais que a Dalyne... pode me dar uma também'.

Own.

domingo, 13 de dezembro de 2009

quarta-feira, 9 de dezembro de 2009

100 Sentidos



Porque às vezes vou à padaria parecendo a Barbie e a festas parecendo o padeiro;

Porque eu quero, quero, quero e depois eu canso;

Porque escrever pode ser um refúgio e uma prisão;

Porque alimento a estranhez de amar doces e odiar bebidas com açúcar;

Porque pratiquei dança durante cinco anos, mas não tenho coordenação motora para andar pela redação sem me jogar sobre alguma mesa;

Porque às terças quero balada e aos sábado quero sono;

Porque eu morro de frio por qualquer coisa, mas meus pés sempre suam em bicas;

Porque a vida é mesmo assim, não faz muita questão de fazer sentido.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Do desespero jornalístico

Cinco pautas, sete possíveis fontes e nenhuma delas atende uma ligaçãozinha sequer. Apenas uma palavra define o sentimento de uma jornalista às 16h50 de uma segunda-após-final-de-semana-e-antes-de-feriado sem matérias: DESESPERO.

Quando alguém finalmente atende, é a Regina Sousa, secretária estadual de Administração, dizendo que o assunto em questão não é mais relacionado a ela, mas à Procuradoria Geral do Estado - aquela, cujo responsável acaba de passar por um cateterismo e está afastado. DESESPERO DUPLO!

Das coisas sem (muito) sentido

O politicamente correto tem lugar certo em minha lista de coisas sem (muito) sentido.

Primeiramente porque na maioria das vezes ele, que se propõe a ser diplomático, é mais excludente do que inclusivo. E depois porque em tantas outras vezes ele beira a bobagem. Agora tenho um novo motivo: a falta de sentido, de fato.

A novidade, ao menos para mim, é que não se deve mais chamar alguém de alcoólatra. O termo politicamente correto agora é alcoólico. O que não faz nenhum sentido. O mais aceitável seria 'alcoolista' ou, como bem lembrou meu amigo Marcílio, 'alcoófilo'.

???

Sarar

Quando eu era criança, diziam que quando a gente se machucava bastava um beijo da mãe para que o ferimento sarasse.

Pena que quando a gente cresce as mágoas não possam ser reparadas apenas com um beijo de quem a gente ama.

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Listinha de Natal

Para tudo, que já é 1º de Dezembro!!

O ano acabou e eu só me toquei disso quando meu miguxo Charlie contou aquela velha piada ontem no Ar Livre: 'Papai Noel, o senhor roi unha? Ro, ro, ro".

Quem é jornalista sabe como é o malabarismo que se precisa fazer para aproveitar as festas de fim de ano. Ou se trabalha no Natal ou se trabalha no Reveillon. Em geral, pago algum dos meus colegas para trabalhar por mim durante o plantão que caberia a mim. Esse ano, acho que não vai rolar e vou acabar passando as festas em Teresina.

Portanto, caros amigos, fiquem com pena de mim e me dêem presentinhos legais no Natal:

- Índice telefônico;
- Glamour ou Capricho (d'O Boticário mesmo);
- Agenda 2010;
- Caixa de aljajor;
- Gravador digital novo;
- CDs: Alejandro Sanz
Jorge Drexler
Marina de La Riva
Mariana Aydar
- Sandália tipo Anabela - nude ou vermelha (com calcanhar livre);
- Coisinhas de prata.

Bjos com apelos mercadológicos!!

domingo, 29 de novembro de 2009

25.11.09


Vamos fingir que não estou escrevendo este post com quatro dias de atraso, ok?


Impressionante como a vida é imprevisível. Um ano atrás, eu escrevia, aqui em coisasdevanessa, pelo mesmo motivo de hoje, mas em situação radicalmente oposta.

Em 2008, uma briga, um pseudo-relacionamento se desfazendo, insegurança, uma sensação de desconfiança e fracasso.

Em 2009, um amor que se solidifica a cada dia, uma vontade enorme de estar junto, de crescer junto, de conquistar junto.

Em um ano tantos desencontros, tantas descobertas, tantos sufocos, tanta felicidade.

Quem diria que hoje seríamos um casal-modelo? Logo um casal formado por dois medrosos que levaram dois anos para admitir que gostavam um do outro. Logo um casal tão "fora do convencional", tão cheio de diferenças. Eu tão metida a independente, tão cheia de mim e 'liberal-alternativa'. Você tão desapegado, tão reservado e tão conservador. Quem diria?

Talvez nosso acerto tenha sido exatamente não querer acertar a qualquer custo; foi aceitar que gostávamos da companhia um do outro, mas não exigir rótulos, compromissos e anéis.

Talvez nosso grande acerto tenha sido permitir que o tempo pudesse, mesmo com nossos erros, mostrar o quanto éramos importantes um para o outro, o quanto nos admirávamos, o quanto fazíamos bem um ao outro.

E não há receitas para isso. Não há nenhuma regra que nos obrigue a nos apaixonarmos alucinadamente e logo em seguida virarmos de fato um casal. E por não haver receita é que nosso 'test drive' deu tão certo. Por isso assumimos o compromisso de compartilharmos, de buscarmos a felicidade um do outro apenas quando já o fazíamos - mesmo sem a tal da obrigação.

E é por me fazer tão feliz, por fazer eu me sentir tão amada, por cuidar de mim, por ser tão atencioso, por estar comigo em todas as situações (com ou sem TPM) e por tudo que vivemos nesses três anos e que vamos viver por tantos mais que te desejo FELIZ ANIVERSÁRIO!

Outro Lugar - Milton Nascimento

Cê sabe que as canções são todas feitas pra você
E vivo porque acredito nesse nosso doido amor
Não vê que tá errado, tá errado me querer quando convém
E se eu não tô enganado acho que você me ama também

O dia amanheceu chovendo e a saudade me contêm
O céu já tá estrelado e tá cansado de zelar pelo meu bem
Vem logo que esse trem já tá na hora, tá na hora de partir
E eu já tô molhado, tô molhado de esperar você aqui

Amor eu gosto tanto, eu amo, amo tanto o seu olhar
Andei por esse mundo louco, doido, solto com sede de amar
Igual a um beija-flor, que beija-flor,
De flor em flor eu quis beijar
Por isso não demora que a história passa e pode me levar

E eu não quero ir, não posso ir pra lado algum
Enquanto não voltar
Não quero que isso aqui dentro de mim
Vá embora e tome outro lugar
Talvez a vida mude e nossa estrada pode se cruzar
Amor, meu grande amor, estou sentindo
Que está chegando a hora de dormir.



;)

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Baratinhas

Eu não posso dizer o nome do local por medo de, sei lá, ser processada, uma vez que não tenho provas da denúncia bombástica que farei (menos, Vanessa, menos). A informação, porém, eu não posso deixar de repassar.

Um bar frequentado pela galerinha descolada de Teresina também é frequentado por baratinhas.

Siiim. Você paga caro achando que parte do tal valor agregado dos produtos lá consumido é direcionado para dedetização, mas na verdade não há nada disso. Mas a culpa não é sua. Até o Reinaldo Gianecchini pensaria.

;)

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Libertação

Quem mora ou conhece Teresina sabe que essa é uma terra de mulheres bonitas. Aliás, como as moças daqui são também muito vaidosas, Teresina acaba tornand0-se uma cidade de mulheres realmente muito bonitas. Todas com cabelos longos, lisos, peles de pêssego, maquiagem perfeita e muito bem vestidas. E isso é um problema entre aquelas que não tiveram uma forcinha da natureza ou não têm dinheiro e/ou vocação para viver em salão de beleza e em shopping.

Quem mora ou conhece Teresina sabe que mesmo nesse calor infernal (ultimamente na casa dos 40º C) a escova/chapinha são indispensáveis para qualquer mulher que não queira ser olhada com desprezo pelas demais (sim, mulher se arruma para as outras mulheres).

Meu cabelo sempre foi muito volumoso - o que dá aquele efeito de 'juba', e meio indefinido: às vezes mais liso, às vezes mais ondulado. Para tentar minimizar o problema, comecei a fazer escovinha ainda na pré-adolescência, antes mesmo de virar moda entre as teens. Inicialmente, usava o secador portátil da minha mãe. Aos 14, ganhei um de uso profissional e o vício tomou conta de mim. Jamais saía de casa com o cabelo molhado. Rua, só depois de 40 minutos sagrados de escovação - em um ritual meio complexo, afinal, fazer uma 'auto-escova' não é tarefa das mais fáceis.

Cheguei a aderir às tais escovas progressivas, japonesas, inteligentes. Mas nunca passei da primeira sessão. Vezes por não ter achado o resultado grande coisa, vezes por não ter paciência para fazer hidratação, massagem, manutenção. Também comprei uma chapinha. Aposentei o secador por um tempo e voltei a utilizá-lo quando vi que o estrago (ressecamento e quebra) já estava bastante grande.

E mesmo com esse histórico de 10 anos de dependência, estou há quase dois anos e meio sem chegar perto de secador, chapinha ou afins (seria mais tempo se não fosse o fato de eu ter trabalhado durante a entrega do Prêmio Marcas Inesquecíveis). Resolvi assumir meu cabelo volumoso, às vezes mais liso, às vezes mais ondulado. Não vou mentir que há dias em que dá um pouco de inveja daquelas meninas com seus cabelos lisos, longos e brilhosos. Mas, como diria a Lívia, inveja é para os fracos. Ganhei umas três horas a mais por semana para fazer o que bem entender e isso já faz toda a diferença no meu dia a dia.

;)

Bjos!

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

O espetáculo do ridículo

A correria do dia a dia (saudade dos hífens dele) tem feito com que dedique menos tempo à TV e à busca de bobagens na internet. Mesmo que eu esteja dando uma de Robert e ande com um pouco de delay em relação às tiradas engraçadinhas do resto do mundo, até que isso tem sido bom.

Por muito pouco eu não fiquei sem assistir ao espetáculo do rídiculo protagonizado pela jornalista Venina Nunes duas semanas atrás, durante uma entrada ao vivo no programa Hoje em Dia, da Rede Record.

Venina entrevistaria o secretário-executivo do Ministério de Minas e Energia, Márcio Zimmerman, sobre o famigerado apagão elétrico. A utilização do verbo entrevistar no futuro do pretérito deve-se ao fato de a entrevista não ter passado do campo das possibilidades.

Na verdade, quando a repórter foi chamada pelo apresentador do programa, o secretário já estava preparado (posicionado, com os fones no ouvido) para dar uma entrevista ao vivo para uma repórter da Rede Globo, que aguardava o momento de entrar na transmissão do Mais Você.

Se você imaginar o cenário mais esdrúxulo possível, não ficará difícil acreditar que as duas praticamente engalfinharam-se por conta dos tais ao vivo, incluindo produtoras, assessor de imprensa do Ministério e tudo o mais. A jornalista da Globo afirmava que seu link já estava pronto; já a da Record bradava que aquele era o horário marcado para a sua entrevista.

Sem querer achar culpados e vítimas (apesar de eu ter meu palpite), quem sai realmente derrotado é o bom senso. E a imagem que a sociedade faz de nossa profissão - que para muitos é deum bando de carniceiros, venais, comedores de criancinhas, também fica um pouco riscada. Mesmo que aquele tipo de atitude não coincida com a forma de trabalho e princípios de muitos jornalistas, confesso que já vi coisa bem parecida e não faz muito tempo.]

o.O

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Chuva!


Chuva em THE!!
Em novembro!!
Agora está mais fácil matar a vontade de um banho de chuva... ;)

domingo, 15 de novembro de 2009

Mudanças

Você passa a vida fazendo as coisas de um modo X. Um belo dia, você acorda para Jesus e vê que talvez não seja nada daquilo e começa a fazer, ou ao menos tentar fazer, as coisas de um modo Y. Mas nem assim as coisas parecem bem e você começa a pensar que nem sempre mudar aquilo que você acha que não está certo faz com que as coisas pareçam menos erradas.

Confuso, né?


Vamos a um cenário hipotético:

Você sabe que as expectativas são responsáveis por 65% de seus problemas ou infelicidades.
Mas você simplesmente não consegue deixar de ter expectativas, especialmente por ter como parâmetro o seu próprio comportamento - ou seja, imaginar que as pessoas agiriam como, ora, você.
Você muda o seu comportamento como uma forma de tentar fazer com que as expectativas diminuam.
E não adianta. Parece que suas escolhas continuam sendo erradas, que as suas expectativas não vão te deixar em paz e que o vazio vai sempre continuar existindo.

Pois é, né?

=/

Drops - parte 12

enigmáticos:

- Loura, feliz aniversário. Amooo s2

- E a chatice, quando acaba mesmo? (auto-depreciativo)

- Sou mais o Amauri

- alguém me manda a discografia do Jason Marz...

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

Mundo Bizarro

A gata liga para a redação 'se acabando de rir', como se diz aqui no Piauí:


Gente.... kkkk... houve um engavetamente de seis biciletas no balão da ufpi... kkkkkkkk... por que o cara da frente tava falando ao celular.... kkkkkkkkk

o.O

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Novidex!

Atenção... Delano Martins compartilhou comigo e eu compartilho com a galera, especialmente aquela ligada a notícias curtas e rápidas:

www.newsmap.jp

Um site com 'notícias' curtas do mundo todo, como um grande mapa, em que as notícias mais acessadas têm espaço maior e as menos acessadas têm espaço menor. Tem notícias do mundo todo, mas é possível escolher o país que você bem entender.

Eu gostei e fica a dica.

Bjos!

;)

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Perspicácia

Da perspicácia jornalística:

Luís Carlos (presidente do Sindjor): Companheiros, vencemos a primeira batalha (sobre a aprovação da PEC do diploma de jornalismo na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara Federal).

Vanessa: Como foi, Luís? Foi por unanimidade?

Luís Carlos: Fooooi. A maioria votou a favor; só o PSDB foi contra.

o.O



Vanessa: Cícero (do Portalodia.com), tenho uma pauta pra ti.

Cícero: Han?

Vanessa: Vai ter curso de paraquedismo esse final de semana...

Cícero: No Ceir (Centro Integrado de Reabilitação)???

Vanessa: Paraquedismo no Ceir, Cícero????

Cícero: Sei lá... tu é assessora* de lá.

o.O

*Assessor do Ceir é o Robson Costa.


P.S. : Redação do Ódia - intervalo menor que 10 minutos entre uma e outra.

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Amizade - parte XIII

Vanessa diz:
;)
Vanessa diz:
xaudadiiiiiiiiiiiiiiiiiii
kkkkkkk
[Arganaz] ~ diz:
u.u não me diga que vc voltou a teclar que nem uma retardada

nada como uma amizade sincera...

Festa para Polly

Trabalho com uma das mais talentosas jornalistas da chamada 'nova geração' do Piauí.
Uma das mais educadas e uma das poucas com berço no ÓDIA, como diria o Ostim.
É sinômino de ótimos textos, de leitura sempre gostosa.
Apenas uma grande jornalista poderia preencher tão bem a lacuna deixada pela 'ídola' Natacha Maranhão em relação às matérias especiais de final de semana do ÓDIA.
Mãezona da Aline Gorda e da Lari, puxa-saco da Malévola-Eliz, sempre tranquila, sempre meiga, com uma alma boa. É assim Pollyana Rocha - ou apenas Polly na redação dos monossílabos e dissílados.

23 x Parabéns, Polly!!

Bjos,
Van ;)

Montevideu


Textinho para a ágina de turismo do ÓDIA...

Se você nunca pensou em ir visitar Montevidéu, capital Uruguaia, é bom começar a cogitar a hipótese. Além de não ser uma viagem cara (o Peso Urugauio é bastante desvalorizado em relação ao Real e passagens aéreas e hospedagem por lá também são bastante em conta), Montevidéu é a cidade latino-americana com melhor qualidade de vida, portanto, bastante segura; possui um rico conjunto arquitetônico; clima agradável; e gente simpática e acolhedora.

Um dos primeiros passeios que se deve fazer é ao centro histórico de Montevidéu, com seus belos prédios com inspiração seiscentista européia (especialmente espanhola), suas praças largas e monumentos. Um dos principais cartões postais da cidade é a Plaza de La Independencia, onde fica o monumento em homenagem ao general Artigas – responsável pela independência do país.

Ainda no centro, são paradas obrigatórias o Obelisco e a Catedral, na praça Matriz. Também não se pode deixar de conhecer o Teatro Solís e os museus da cidade. Aos amantes do futebol, um visita ao estado Centenário (palco da final da primeira Copa do Mundo, organizada pela Fifa em 1930) também não deve ficar de fora do roteiro.

Para quem gosta de badalação, uma boa dica é o mercado do Porto de Montevidéu. É no porto que se dá a maior rota de cargas do Mercosul – um dos principais motivos para a cidade se tornar a sua capital administrativa. Nas imediações do porto, estão localizados bares, cafés, restaurantes,pubs e boates. Suas ruas são aconchegantes e cheias de artistas, com suas peças de artesanato, quadros ou mesmo sua música. Ainda no mercado, é possível degustar a melhor gastronomia de Montevidéu. Uma boa pedida é o Chivitto, prato típico da região. Mas é bom estar com fome, é um prato enorme, com batatas fritas, carne bovina, queijo, presunto, molho e ovos, acompanhado por salada crua e salada russa (ufa!).

Em Montevidéu, também não se pode deixar de visitar a Rambla, avenida que margeia o Rio da Prata. Um dos maiores rios em volume de água do mundo, o Rio da Prata forma um verdadeiro oceano antes mesmo de encontrar o Atlântico. Em sua margem, há um calçadão que se estende por boa parte de Montevidéu, por onde as pessoas fazem caminhada, pescam, passeiam com seus animais de estimação ou apenas ficam sentadas, conversando com amigos ou apreciando a bela vista formada por uma verdadeira imensidão de águas que se perdem rumo ao horizonte.

Por fim, uma última dica é o passeio de barco pelo Rio da Prata. Por cerca de U$ 70 é possível ir de Buquebus (‘barco-ônibus’ - uma embarcação bastante confortável) até Buenos Aires. E sobre Buenos Aires... bem, sobre Buenos Aires você já teve ótimas dicas aqui em Última Parada.





















































sexta-feira, 30 de outubro de 2009

Assunto recorrente

Mais coisas sobre Montevideo/Buenos Aires:

- Os cachorros de rua por lá são bonitos e bem-nutridos (depois posto fotos de alguns).

- Atenção desempregados do Brasil, lá há uma profissão que ainda não vi por essas ban
das: corretores de taxi. Sim! Nos pontos de taxis há um cara 'chamando' os taxis para as pessoas.

- A estação do Buquebus (barco que faz 'linha' Montevideo-Buenos Aires) é melhor que o Aeroporto Internacional de Montevideo.


- Ao contrário do que a gente vê na TV, os protestos na Argentina são muito 'civilizados'.


;)

quinta-feira, 22 de outubro de 2009

Chamem o Sebrae!!

Poderia passar horas falando das coisas liiiindas que vi em Buenos Aires ( e passarei, logo mais), porém, como as coisas ruins têm mais impacto, vamos a elas: comida e antipatia.

Que desculpem os argentinos legais, mas ô povinho pedante. Sério. Especialmente vendedores e taxistas. Já de cara fomos jantar em um restaurante na Recoleta e um senhor louco nos atendeu. A primeira pessoa a quem ele entregou o prato foi a mãe do Rafael. Mas só isso. A comida simplesmente não foi servida. Nosso pedido era um penne com molho de nem sei mais o que e ele trouxe um tal de pincho (traduzindo: espetinho com porco, frango e gado - horrível, por sinal). Depois sumiu do mapa, tivemos de pedir a conta a outro 'mozo', que sutilmente pediu a gorjeta. Quando informamos todos os acontecimentos da noite, ele disse: "Ah, sim; foi o meu colega. Mas não precisa dar a gorjeta, então" - em todo lugar tem espertinho.

Algo pontual? Sim, poeria até ser se não tivessemos sido destratados por vendedores, taxistas e outros mozos. Em La Boca (região boêmia, onde nasceu o Boca Juniors) simpatizei com um chapéu para meu pai. Perguntei o preço e como boa brasileira disse que iria dar um volta e depois voltaria. O vendedor legal só disse um mal-educado 'pois vá', deu de ombros e ficou resmungando. Acho que na Argentina não tem Sebrae.

A comida também é meio 'sem graça'. Quando digo sem graça, digo sem sal, sem tempero. Comassim? Um exemplo: pedidos um filé de picanha em Puerto Madero (onde há a melhor gastronomia de Buenos Aires) e tínhamos de colocar sal refinado para dar um pouquinho mais de gosto e disfarçar as partes 'tostadas'. Pedimos uma parrilla (prato típico de lá - uma espécie de rodízio de carnes misto só que tudo de uma vez em cima de uma chapa, somado a queijo e pimentão) e para ficar com menos gosto de nada não poderíamos deixar de lado la salsa (molho). Pena que as autoridades competentes não permitem entrar lá com quentinhas repletas de comida brasileira - elas fazem falta!

Depois volto com "as partes boas".

;)

Bjos!

Clandestino

Como entrar clandestinamente no Mercosul - baseado em fatos reais:


Programe-se para entrar nos países do Mercosul pelo Uruguai. Na fila do setor de imigração do aeroporto de Montevideo, entregue seu formulário preenchido com as informações que bem entender, diga que esqueceu sua carteira com alguém. Para agilizar o processo, a funcionária do aeroporto vai carimbar o seu visto de turista antes mesmo de ver seu documento. Quando você retornar ao guichê, sua documentação de circulação pelo Mercosul estará prontinha lhe esperando.

Comigo foi assim, rs.

Atenção!

Nem ouse fazer isso pelo Brasil. São papéis e mais papéis. Vistorias e mais vistorias. Eles não deixam passar nem protetor solar na bagagem de mão.

Fica a dica, clandestinos!


Bjos ;)

quarta-feira, 14 de outubro de 2009

Recomendações

Não, não... apesar do título sugestivo, esse post não tem nada a ver com recomendações que sua mãe faria, do tipo "escove os dentes antes de dormir" ou "não beba nada que lhe oferecerem". São apenas coisas boas de ouvir:

Maria Gadú

Ana Cañas


Standart - CD novo do Sakank (não tão novo assim)

Vivendo do Ócio (diretamente do Gas Sound)

Mariana Aydar


Campanha: 'Acabe com a depressão musical de alguém - Músicas legais, passe-as adiante!'

;)

domingo, 11 de outubro de 2009

Bota pra ferver!!


Sábado eu vivi um desses momentos que justificam as minhas comuns afirmações de que uma das melhores coisas de ser jornalista é poder estar em locais e falar com pessoas com quem você jamais imaginou.

(Dane, pode morrer de inveja!)

Estava eu no back stage acompanhando a Larissa durante sua espera pela coletiva de Aviões, quando resolvi subir ao palco principal. Só ver aquele mar de gente com os braços de um lado para o outro no show do Asa de Águia já me fez ficar toda arrepiada.

Agora, ver a banda ensaiar o encerramento do show, as luzes apagarem-se momentaneamente e voltarem ao som das primeiras notas de 'Pequena Eva', seguidas por 'We are Carnaval', como diria aquela propaganda famosa, NÃO TEM PREÇO.

Loucura demais. Se eu cantasse ao menos razoavelmente, acho que minha profissão deveria ser outra.. rs


;)

sexta-feira, 9 de outubro de 2009

Férias! Férias!

Após mais de quatro anos estudando+trabalhando e trabalhando+trabalhando... eis que estou 'de férias'+trabalhando.

Férias!! Férias!!

E agora????

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Rio, aguarde-me!

Digam o que quiserem, mas eu queria(muito mesmo... mais que o Fábio Lima)
estar lá:



Encontros e despedidas

Por algum tempo exitei em 'desistir' das cerimônias de colação de grau. Depois, como é comum à minha inconstância, fiquei DECIDIDA e resolvi não ter sequer meu nome e minha foto na placa. Confesso que de tanto ouvir recriminações comecei a achar que tinha feito uma opção ruim. Confesso ainda que ir à solenidade de colação de grau das minhas amigas me fez ver que eu realmente não caberia ali. Mas admito que emocionei-me com a emoção (rs) da Dane - mesmo que seu 'discurso' tenha sido algo muito particular em vários momentos, e com as palavras da Tia Sam, sempre suscitando reflexões de forma leve e divertida. Adorei a definição dada por ela a cada um dos formandos, adorei o Anselmo sentado durante o juramento de RRPP, adorei a coerência do atraso do Robson, odiei aquela pró-reitora semi-analfabeta - acontece... humpf! É isso aí: Hino, juramento, discursos, canudo. Acabou!

E se cada um sabe a dor e a delícia de ser o que é, cada um sabe o que leva para si dessa grande, particular e subjetiva experiência de cinco anos.

Parabéns, meninas!

quarta-feira, 30 de setembro de 2009

CNJ me faz feliz!

O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) me faz feliz:

"A partir de 1º de outubro, o horário de funcionamento da Justiça Estadual do Piauí passa a ser de sete horas diárias. No dia 9 de setembro, o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) aprovou resolução determinando que os tribunais de justiça de todo o Brasil passem a cumprir jornada de trabalho de 40 horas semanais".

Obrigada, Gilmar Mendes (o.O)

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Observatório

Quem não é jornalista, não é amigo, namorado ou não tem parente jornalista possivelmente nunca ouviu falar em clippagem. Pois trata-se de uma das (senão a) funções mais chatas da profissão: cortar, colar e arquivar tudo que sai sobre o assessorado nos meios de comunicação.

Adoro ter companhia enquanto executo essa tarefa todos os dias. Em geral, ouço as pessoas fazendo comentários de toda a natureza sobre o conteúdo do noticiário local. Mas hoje vai entrar para a história em relação ao quesito 'curto e grosso'.

"Como sempre, não deu para ler nenhuma matéria".

UI!

Para bom entendedor...

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Piada doméstica (para teresinenses)

Piada doméstica pronta (via Twitter/MSN)


Tia Tacha diz:
firmino no twt: Tenho que ir
eduardo responde: Vai, Firmino, vai (eu nao poderia perder essa piada)

Como diria minha ameega Lyza Maravalha (maravalha mesmo): GARGALHADAS!

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Up!


A idéia de juntar um senhor ranzinza de 78 anos e uma criança carente pode parecer chato ou melodramático, né? Dificil imaginar que com essas duas figuras centrais um filme possa ser definido como divertidíssimo. Difícil imaginar também que uma animação intitulada "Up - Altas aventuras" possa ser um filme adulto (mas também para crianças) e extremamente tocante.

Fui assisitir ao filme porque um amigo do Rafael de 110 quilos e fã de metal recomendou. Na verdade, nem foi pela recomendação; foi porque ele disse que havia chorado de rir e chorado de chorar mesmo. Como em todas as animações da Pixar (que agora foi comprada pela Disney - a Disney quer dominar o mundo!), um curta-metragem foi apresentado antes do longa. Não cheguei a tempo de ver seu nome, mas deu tempo para eu adorar a breve história sobre filhotes de animais, cegonhas, nuves, trovões, chuvas e amizades.

Após o primeiro diálogo do filme, entre o sr. Carl Fredericksen e Ellie, sua futura senhora, desenha-se, em uma sequência muda, toda a vida feliz vivida por eles... a sequência é interrompida com a morte da esposa. A partir daí, Fredericksen fecha-se em seu mundo, prendendo-se à casa e a seus objetos, como a cadeira em que se sentava ao lado de sua mulher e o retrado dela pendurado em um parede.

A casa é alvo de um grande construtora e, por motivos que não convém contar, ele resolve deixar o local onde mora (eu disse local, não disse casa). Antes disso, bate à casa do velhinho o gordinho mais-fofo-de-todas-as-animações, Russel. Pequeno escoteiro, o menino precisa de uma única comenda para tornar-se um grande guardião da natureza: a medalha por ajudar um idoso. O problema é que o senhor escolhido por Russel para ser ajudado não tem o menor interesse nisso. Ao contrário.

Sr. Fredericksen segue em busca de um sonho antigo construído tão logo conheceu sua esposa, ainda na infância. Em uma dessas imagens que só mentes sensíveis são capazes de criar, o velhinho e sua casa ganham, pendurados por zilhares de balões, os ares rumo à América do Sul.O incansável Russel segue viagem com eles.

Os diálogos, as imagens, as 'aventuras' sugeridas pelo título só vendo o filme para conhecerem.

Mas posso afirmar é que é um filme sobre desapego, busca de sonhos, carência, sobre a impossibilidade de se viver sozinho, sobre a importancia dos relacionamentos humanos, sobre repensar a forma como se encara a vida que se leva, e tudo o mais que ele lhe fizer refletir mesmo sem que você perceba.

E muito, muito engraçado.

Recomendadíssimo!!

P.S.: quem não tiver a fim de gastar R$ 14,00, pode aproveitar a promoção do Ódia; 'Up' hoje é o Filmo do Dia.



;)







segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Gente doida - versão 425

Toca o desesperado celular da Claro da redação do ódia e se inicia o duelo:


Vanessa: Redação do Jornal O DIA;

Voz do Além: Quem é?

Van: Vanessa Mendonça, do jornal O DIA; quem fala?

Voz: É que ligaram para mim desse número ontem e eu estou retornando.

Van: Certo. Qual o seu nome?

Voz: Ligaram para mim desse número. Quem está falando? Não entendi.

Van: Vanessa Mendonça... é do jornal O DIA. Qual o seu nome para eu perguntar quem ligou para o senhor?

Voz: Como é?

Van: O nome do senhor...

Voz: Não. Eu ligo mais tarde.



Hein?? o.O

sábado, 19 de setembro de 2009

O poder da informação

Assaltaram um dos gazeteiros do Ódia nesta madrugada... levaram a bicicleta do gato e uns 70 jornais.

Esses assaltantes estão mesmo diversificando sua 'mercadoria'...

=O

Megalomania

Após atingir a marca de intermináveis mil discursos no Senado e de finalizar sua 'Carta de Despedida' do PMDB afirmando que quer ter um milhão de amigos, o senador Mão Santa lançou ontem seu perfil no Twitter com o objetivo de chegar a um milhão de seguidores.

=O

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

Falta de expressão

Exemplo-mor de falta de expressão de um partido político:

O folclórico senador Mão Santa está deixando o Piauí e deverá migrar para o Partido Social Cristão. Como eu não sei nada ou quase nada sobre o PSC, resolvi pesquisar em nosso bom ameego Google.

Estranhamente (?) o Google, que é mais inteligente que eu, corrigiu-me: você quis dizer PSB.

Apenas após seis notícias sobre o PSB (que eu sei ser o partido do vice-gov Wilson Martins, do gov de Pernambuco, Eduardo Campos, e do deputado federal-ex-ministro-presidenciável Ciro Gomes), apareceu uma notícia sobre o diretório carioca do PSC.

Para quem não sabe, o PSC é o partido do peixinho...



;)

Felicitações

Aniversário de duas pessoainhas mais que especiais hoje ;)


via Orkut:

Layanne:

Mais uma vez eu te felicitando pelo Orkut, mas não importa.. rsrsrs... o q vale é saber que somos amigas, que eu te desejo todo o bem do mundo, toda a felicidade que possa existir pq vc merece, pq vc é uma pessoa iluminada.te amo muito, morro de saudades de vc, da sua alegria, do seu carinho.bjos, bjos e parabeeeeeeeeeens!!

Lucas Costa:

AMO-TE... hj e nos outros 364 dias no ano...



Amo, amo!

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Mantra

aprenderaserdesaforadaaprenderaserdesaforada
aprenderaserdesaforadaaprenderaserdesaforada
aprenderaserdesaforadaaprenderaserdesaforada
aprenderaserdesaforadaaprenderaserdesaforada
aprenderaserdesaforadaaprenderaserdesaforada
aprenderaserdesaforadaaprenderaserdesaforada
aprenderaserdesaforadaaprenderaserdesaforada
aprenderaserdesaforadaaprenderaserdesaforada
aprenderaserdesaforadaaprenderaserdesaforada
aprenderaserdesaforadaaprenderaserdesaforada
aprenderaserdesaforadaaprenderaserdesaforada

Amém!

Articulando

E por falar em artigos publicados no Ódia...

Outro dia estava em uma gráfica esperando um material e havia algumas pessoas lendo o jornal (observar o que as pessoas comentam enquanto o leem é um exercício estranhamente interessante).

De repente, uma mulher comentou: gente, o Carlos Said (jornalista, escritor, professor, comentarista esportivo das antigas aqui no Piauí) morreu. Tá aqui, 'Morte e saudade: Carlos Said".

No mesmo momento um milhão de pessoas (gente que eu nem vi que estava lá) foi para cima do jornal.

Meia hora depois do tumulto é que uma figura bendita percebeu tratar-se de um artigo intitulado "Morte e Saudade", assinado pelo jornalista Carlos Said.

AI!
=O

Limitação

Não sou assídua leitora dos artigos publicados no Ódia (jornal O DIA, meu amado local de trabalho) por motivos diversos. Essa semana, porém, eu nem precisei ler um dos artigos publicados para conhecer todo o seu conteúdo, tamanha a polêmica gerada por ele.

Um pastor aqui de Teresina escreveu um texto sobre homoafetividade e a comparação mais amena feita por ele foi a de que o homosexualismo é como a lepra.

Lepra: A lepra, ou hanseníase, é uma doença infecciosa que consome e resseca, agride e penetra na pele, deforma nervos, músculos, ossos. A insuportável dor inicial é substituída pela perda da sensibilidade e dos movimentos.

Isso é o que se pode chamar de visão de mundo limitada ou de fanatismo doentio?
Não sou eu quem irá dar uma resposta a essa pergunta.

O fato é que o tal artigo teve uma repercussão gigantesca, 'bombou' no Twitter, foi parar em portais de notícia, emissoras de TV.

Viva a librdade de expressão!

E por isso mesmo eu fico imaginando qual seria a repercussão de um artigo neuroticamente anti-protestante, enumerando ao menos dois dos trocentos escândalos envolvendo o Edir Macêdo ou os bispos da Igreja Renascer em Cristo. Ou falando sobre as insanidades que algumas pessoas comentem para pagar o famigerado dízimo, da venda de casas à sobrevivência com 1/5 do salário.

Poxa. Os protestantes se ofenderiam, não é mesmo?

E porque os protestantes podem se ofender e os homoafetivos não?
Também não sou eu quem irá dar uma resposta a essa pergunta.


*Não se trata de nada contra os protestantes. Não, não sou católica. Não, não sou atéia. É só a favor do bom senso, da razoabilidade e em defesa da liberdade de expressão com responsabilidade.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

Otimismo

Ontem foi um péssimo dia.
Hoje está sendo um mau dia.
Amanhã talvez seja um dia, ao menos, razoável.


*baseado em fatos reais

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

Pelo empreendedorismo


Uma das melhores coisas de ser jornalista é poder conhecer lugares e pessoas que nunca se imaginou conhecer. No semestre passado tive a oportunidade de conversar (mais que entrevistar) um dos caras mais feras do Brasil na área de empreendedorismo, Fernando Dolabella. Lembro que conversamos sobre a cultura da estabilidade no emprego público e sobre o medo que os brasileiros têm de empreender. Algo que ficou bastante marcado em minha memória após aquela entrevista foi o fato de Dolabella ter feito questão de destacar que o grande gerador de crescimento e riquezas são os empreendimentos e não o Governo.
Morei cinco anos no município de Balsas, região do cerrado maranhense. Há outros cinco visito a cidade com certa regularidade para rever familiares e amigos. Balsas é hoje um pólo da agricultura mecanizada, que tantos condenam por fadar o homem do campo ao êxodo rural, por gerar bolsões de misérias nas grandes cidades e, mais recentemente, nos centros regionais.
são quero entrar na discussão sobre desenvolvimento sustentável, pois todos nós sabemos que ele é imprescindível para que daqui a algumas décadas o agronegócio ainda possa gerar divisas (até o Blairo Maggi colocou isso na cabeça - veja a Veja desta semana). O que quero publicar aqui é o testemunho de uma pessoa que viu, em apenas uma década, uma cidadezinha do interior do Maranhão (um dos estados mais pobres da federação) se transformar, vertiginosamente, em um centro regional, em uma das cidades que mais cresce no país.
Ao mesmo tempo em que o agronegócio emprega menos mão-de-obra, ele gera uma rede enorme de demandas nas mais diversas áreas, gerando emprego e renda. Por que o homem do campo tem de continuar no campo? Por que ele não pode ter direito a estudar, qualificar-se em outras áreas ou mesmo na área rural? Quando minha família e eu nos mudamos para Balsas, lá não havia clínicas médicas, escolas, hospitais, consultórios odontológicos, faculdades, centros comerciais e opções de lazer com a variedade e a qualidade que tem hoje. Não que na cidade não haja mais pobreza que em outros tempos, mas é inegável o crescimento e o progresso na região.
Para os ecologistas de plantão, pode parecer chocante a foto acima, mas é graças à monocultura mecanizada que milhares famílias hoje têm seu sustento direta ou indiretamente na cidade, vivendo, na maioria dos casos, bem melhor que 10 anos atrás. É graças à lavoura fomentada pelas grandes empresas multinacionais comedoras de criancinhas que muitos pais não precisam mais mandar os filhos estudarem fora ou viajarem 500 km para fazerem exames médicos modernos.
;)

Sobre o desejo de ser mãe (do filho de outra)



Para a revista que a Lala tah produzindo:






Sobre o desejo de ser mãe (do filho de outra)

Muitas vezes as contradições do ser humano vão além daquilo que a racionalidade pode aceitar como compreensível. Como explicar o fato de alguém não ter vontade de ser mãe, mas cogitar a possibilidade de uma adoção? Sim, como entender ou mesmo aceitar que uma mulher não sinta o tão falado instinto maternal bater mais forte dentro de si, mas ache cabível de assumir a responsabilidade de ser mãe de um filho de outra pessoa?
Na faixa dos vinte e poucos anos, muitas de minhas amigas já guardam há muito tempo o desejo de casar, ter filhos, tornarem-se verdadeiras mães de família. Essa vontade nunca chegou a mim; aliás, longe disso. Costumo dizer, em conversas quaisquer, que posso até mudar de opinião, mas não desejo ter filhos.

Entretanto, se um diálogo sobre o assunto se alonga, logo caio em contradição. Não nego o desejo de, em um futuro bem distante, adotar um filho. Talvez o ato de adotar uma criança como parte de minha vida para o restante de minha existência seja algo tão pleno e significante que preencha a lacuna biológica que mantém adormecida em mim a vontade de gerar um filho. Talvez a grandiosidade do ato tenha me sensibilizado mais que a possibilidade de ter um filho saído de meu ventre.

No mês de agosto, o presidente Lula sancionou a Nova Lei de Adoção, que promete dar maior celeridade aos trâmites jurídicos relacionados à questão. A regulamentação deve entrar em vigor apenas em novembro, mas já traz muitos avanços em relação ao tema no Brasil, como a possibilidade de adoção individual, permitindo que todas as pessoas maiores de 18 anos, independente do estado civil, possam adotar uma criança ou um adolescente. A única restrição é que o adotante tenha ao menos 16 anos a mais que o adotado. No caso da adoção por casais, é preciso que eles sejam legalmente casados ou mantenham união civil estável reconhecida pela autoridade judicial.

A nova regra também estabelece a criação de cadastros nacional e estadual de crianças e adolescentes em condições de serem adotados e de pessoas ou casais habilitados para adoção. A lei inova ainda ao permitir que o juiz considere o conceito de “família extensa” para dar preferência a adoção dentro da família, mesmo não se tratando de parentes diretos da criança ou do adolescente. Um outro grande avanço é a possibilidade de crianças maiores de 12 anos opinarem sobre o processo de adoção.

Menos burocracia, mais dignidade e respeito às crianças e adolescentes que esperam por uma família e às pessoas que se predispõem a mudar as suas vidas em nome de uma adoção. É isso que a Nova Lei de Adoção representa. Seja para casais que não podem ter filhos, pessoas que queiram engrandecer suas famílias biológicas ou aqueles que tenham motivos inexplicáveis para querer adotar um filho.

Vanessa Mendonça, 23 anos, jornalista

Montevidéu-Buenos Aires




Eu poderia gastar R$ 2.500, à vista, por uma festa de formatura, no máximo maisoumenos, para uns 50 convidados. Seria uma forma de não deixar minha graduação passar em branco, já que (ai, eu sou rebelde!) não quis participar das solenidades da minha turma... nem placa eu quis.
Mas eu preferi gastar pouco mais de R$ 1.000, com entrada de R$ 105,00 e o restante parcelado em 5x sem juros, por passagens e hospedagens por uma viagem de quatro dias: Teresina-Montevidéu-Buenos Aires.
Quanto a $$ para passeios e alimentação, a gente dá um jeito. Todynho e biscoito estão aí para essas coisas (a Nat tbm disse que tem uns sanduiches baratos excelentes - obrigada, xuxu). Hum... já sobre a gripe H1N1... bem, gripe A é para os fracos, não é mesmo?

Fiz uma boa escolha, né??? ;)

Bjos!!

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

E a culpa é de quem?

Pq as pessoas insistem em fazer as reclamações para as pessoas erradas??

Perdi a conta de quantas pesoas ouvi queixando-se do vai-e-bem de jornalistas pela avenida durante o desfile cívico-militar (7/9): "ai, que eu não tô vendo nada", "sai do MEEEEI", "esse povo fica só atrapalhando".

O detalhe é que as pessoas tão incomodads com a "multidão" atrapalhando a visão do desfile deveria ter reclamado com as pessoas inteligentes que proibiram a colocação de arquibancadas ao longo da Frei Serafim.



xxxxxxxxx




Charlie animando meu trabalho no feriadão... Antes que o Fábio Lima manifeste sua indignação, a culpa é do Governo do Estado, que resolveu colocar a bandeira do Piauí de um lado e a do Brasil do outro...

Bjos

;)

sábado, 5 de setembro de 2009

Autoconhecimento (nova regra ortográfica)

Meu ameego Carlos Lustosa (leia-se cidadeverde.com - vibe colunista social) dando exemplo de como o autoconhecimento melhora a nossa vida:


Vanessa!! www.coisasdevanessa.blogspot.com diz:
ql teu twitter?
El mundo fué y será una porqueria, ya lo sé diz:
caslusfilho
Vanessa!! www.coisasdevanessa.blogspot.com diz:
bloqueadooooooooooo?
te conheci mais barato
El mundo fué y será una porqueria, ya lo sé diz:
lógico
falo asneira demais


Bjoooo!!

segunda-feira, 31 de agosto de 2009

Além do que se vê

Deus costuma usar a solidão para nos ensinar sobre a convivência.
Às vezes, usa a raiva para que possamos compreender o infinito valor da paz.
Outras vezes usa o tédio, quando quer nos mostrar a importância da aventura e do abandono.
Deus costuma usar o silêncio para nos ensinar sobre a responsabilidade do que dizemos.
Às vezes usa o cansaço, para que possamos compreender o valor do despertar.
Outras vezes usa a doença, quando quer nos mostrar a importância da saúde.
Deus costuma usar o fogo, para nos ensinara andar sobre a água.
Às vezes, usa a terra, para que possamos compreender o valor do ar.
Outras vezes usa a morte, quando quer nos mostrar a importância da vida.
Fernando Pessoa

Acho que Deus tá tentando me mostrar alguma coisa...

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

Coisas de Vanessa - XIII

A pessoa chega à parada de ônibus, sobe no coletivo, e apenas à beira da catraca percebe que o pouco dinheiro que lhe resta no final do mês ficou na bolsa que usara no final de semana.

A pessoa, sem o menor pudor, dirige-se ao motorista e pede para que ele pare, afinal, ela tem de descer, uma vez que não tem dinheiro para pagar a passagem.

O motorista diz para a pessoa que naquele local não pode: 'só na próxima parada'.

A próxima parada é exatamente a parada em que a pessoa iria descer se tivesse passado pela roleta já que ela passa menos de dois minutos no ônibus até chegar a seu destino.

Mais uma da série coisasdevanessa.

bjos! ;)

sexta-feira, 21 de agosto de 2009

Moxka

Um pouco mais velho do que eu imaginava. Bastante mais parecido com o Tucca, vocalista do Jammil, do que eu jamais havia percebido.

Também é mais simpático do que eu poderia esperar. Aliás, muito mais metido a engraçadinho do que eu havia notado em seus textos postados em seu site oficial.

Uma grata surpresa o sr. Paulinho Moska, mais Moska e menos Paulinho, ou vice-versa, como ele mesmo fez questão de não esclarecer durante seu primeiro show em Teresina – aliás, Terê para ele e para o amigo dele que achava tratar-se de Teresópolis, região serrana do estado do Rio de Janeiro.

Para quem começou cantando a música da Adelaide no Inimigos do Rei, ele até que melhorou muito – nada contra a música que popularizou Kafka na década de 1980 no Brasil. Belas canções, belos violões, muitos cogumelos e um certo magnetismo, como bem definiu Charlie. Como não prestar atenção em sua aparição performática? Como desviar a atenção de seu próximo gracejo? Como resistir àquela voz macia?

Entretanto, minha maior indagação não é nenhuma dessas. Seria... como ser indiferente à seguinte afirmação: “eu tenho uma preocupação em fazer canções simples. E, não se enganem, essas são as mais difíceis”. Ponto para Paulinho Moska, que acabou de dar mais um nó em minha cabeça.

Quem assistiu ao show dele ontem no Teatro 4 de Setembro (ou em qualquer outro dia, em qualquer outro lugar), sabe do que estou falando. Quem ainda não viu... bem... só vendo.




Na foto... eu, na vibe Sai de Baixo (no final do dia, com a mesma roupa...), Charlie (balão de oxigênio pra ele na hora de 'Idade do Céu') e Biá (que nem gostava muito, mas acho que agora começou a gostar). Ao fundo, as belas e bem pintadas janelas do Teatro 4 de Setembro.



Bjos!!

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

Ciço

Ciço estreando em coisasdevanessa


Cícero Portela - (86) 9945 9915 diz:
Telefonia móvel em Tersina: Vivo morreu, Claro tá escura, Tim nem tchum e Oi deu Tchau.
Vanessa:
Para com issoooooooo!! Pq tu é assim, Cícero??

Pq trabalhar com o Cícero é... bem... difícil definir!

segunda-feira, 17 de agosto de 2009

Curto e grosso

No Palácio da Cidade...


Pref., apenas um dia após essa 'trégua' entre o senhor e o gov., lideranças petistas afirmaram que o senhor estaria se apropriando de obras federais...

Mas, você... veja onde nós estamos (lançamento de sistema de emissão de notas fiscais de serviço eletrônicas); você está atrapalhando.

OK (,senhor estupidez!).


Sim, com raiva. E com razão. Eu estava trabalhando.

terça-feira, 28 de julho de 2009

Malfeitos feitos

Malfeito feito 1 - TCC entregue;

Malfeito feito 2 - matérias para Fisio Piauí prontas;

Malfeito feito 3 - visita ao (O)mar;

quinta-feira, 23 de julho de 2009

Opinião Pública

Pesquisa confeccionada pelo grupo almeão GFK em 16 países europeus, Estados Unidos e Brasil constatou que os jornalistas são a 5ª profissão mais respeitada dentre as 17 mil pessoas entrevistadas.

O ranking dos cinco primeiros colocados é o seguinte:

1. Bombeiros
2. Carteiros
3. Médicos
4. Professores
5. Jornalistas


Em úuuuuultimo lugar vêm os políticos.

Faz sentido...

terça-feira, 21 de julho de 2009

Ao mestre - com carinho

Não ligo muito para os aniversariantes do Orkut. Em geral, sei bem o dia do aniversário daqueles que "merecem" os parabéns. Porém, hoje eu passei pelo calendário do Orkut, voltei e cliquei.

Aniversário da Samária Andrade ('tia Sam' - mesmo que ela não goste). Sem dúvidas, a melhor professora que tive na universidade.

Uma professora que, sempre falando de igual para igual com os alunos, transmitia o conhecimento como se fosse uma conversa entre amigos - mesmo tendo precisado apelar para a leitura de textos em sala, já que nós não os líamos em casa.

Profissional competente e premiada. Jeito manso, fala calma, tranquila. Bom humor próprio e invejável. Inteligência despretenciosa. Texto primoroso. Uma figura serena e reservada. Compreensiva e solicita. Uma pessoa em quem se espelhar.

Tia Sam, obrigada por tudo. Sempre.

Felicidades mil. Sempre.

Bjos!

;)

segunda-feira, 20 de julho de 2009

Válido até virtual

Já está no ar o novo site da banda Validuaté: www.validuate.com.

Lá, os fãs podem conferir trechos do novo trabalho da banda, o CD “Alegria Girar”, além de encontrar todas as novidades sobre o trabalho do grupo.

Em tempo: Alegria Girar é o segundo álbum da Validuaté e será lançado no dia 23 de julho, em grande show no Teatro 4 de Setembro, a partir das 19h. Os ingressos já podem ser adquiridos vendidos na Banca do Joel da praça Pedro II.

Bjos ;)

sábado, 18 de julho de 2009

Do prazer

Apenas um registro. Uma constatação alheia à loucura que tem sido minha vida de uns dois meses para cá.


Incrível como escrever me faz bem. É até um pouco estranho o quanto me reconforta e me traz serenidade. Meus amigos mais próximos conhecem meus 'e-mails retóricos'. Feitos apenas para colocar no papel as conclusões às quais o cérebro chega - mesmo que elas já tenham sido expressas de outra forma. Parece que fica tudo mais claro, mais simples, mais prático. É como se o ato de organizar palavras visando a dar sentido à ordem em que elas são dispostas me fizesse uma pessoa mais centrada. Incrível como escrever me faz bem.



Um TCC.
Dois empregos.
Três freelas.
Muitas contas.
Uma família e ainda alguns amigos para dar carinho.


Bjos ;)

P.S.: Não esqueçam: lançamento do ALEGRIA GIRAR dia 23, às 19h, no Teatro 4 de Setembro.

quinta-feira, 16 de julho de 2009

Já é tempo de sair do lugar II

IMPERDÍVEL!
o SHOW DO ANO!
TERESINA VAI TREMEEEER!

Não, não é nenhuma banda de forró, nem o Chiclete com Banana...


DIA 23 DE JULHO


TEATRO QUATRO DE SETEMBRO


LANÇAMENTO DO CD ALEGRIA GIRAR!


ÀS 19H

Já é tempo de sair do lugar

Caríssimos amigos que nos acompanham pelos palcos partidos em festa. Já é tempo de sair do lugar!

Você quer participar desse momento vivido pela banda de uma maneira mais intensa, e não sabe como? Seus problemas acabaram!!! Está lançado o concurso "Eu vi a Alegria Girar"!

Vá ao show de lançamento no dia 23, no Teatro 4 de Setembro, e leve consigo sua filmadora (pode ser emprestada mesmo, não tem problema...), câmera fotográfica digital, celular e grave trechos do show, música inteiras, o show inteiro se quiser. Fique à vontade para captar toda a alegria dessa noite: um detalhe, um sorriso da pesoa ao lado, uma expressão, um gesto, uma imagem, a energia do show, tudo ou só o que você viu.As melhores imagens serão incluídas no DVD promocional do show Alegria Girar, e os autores dessas melhores imagens ganharão um kit validuaté (mais detalhes muito em breve).

O material deve ser encaminhado (em DVD), até o dia 30 de julho para o seguinte endereço:Bumba Records Master StudioRua Coronel Cezar 1233 Morada do Sol CEP64056-470 Teresina-PiauíA seleção das imagens começa logo em seguida e o resultado será conferido em primeira mão pelos vencedores. A lista com os nomes dos participantes vencedores sairá em nosso blog (http://validuate.blogspot.com) até o dia 7 de agosto.Participe! E faça parte dessa história.Abraços fraternos e enormes atodos;

Informações: 86 9411 1262zecomz3@hotmail.com - Zé Quaresma, O Vocalista.

terça-feira, 30 de junho de 2009

Coisas de Sabrina

Sabrina Neves Maranhão é figurinha fácil nas conversas vespertinas do Ódia.

Filha da queridíssima Natacha Maranhão [ ;*], 'Bibi' é o que se pode chamar de menina-prodígio.

Atualmente, Bibi está curtindo suas férias escolares. Sua diversão mais recente é administrar/trabalhar/ser marketeira de um salão de beleza em que pinta unhas, faz hidratação e tantos mais tratamentos existirem em suas bonecas.

Nas paredes da casa da Nat, cartazes anunciam promoções e a variedade dos serviços oferecidos. Mas o melhor é o cartaz principal:


SALÃO PERFEITO
Aqui você fica na moda!


Educardo Neves, o imenso pai de Bibi, que é publicitário, não conteve a emoção: 'own, o primeiro anúncio dela".


Como diz o Edson (juninho - saudade!), a Sabrina não é uma criança; é um anão!




Bjos!

sábado, 27 de junho de 2009

Enigmático

Se alguém souber, por favor, explique-se... por que Teresina tem muros com a seguinte frase pintada:

"FORA NAZISTAS DA PALESTINA!!"

Sério!

Será algum código que as facções radicais daqui criaram para xingarem-se mutuamente.. um grupo são os palestinos e outro são os nazistas? Será? Será?

Ou será mesmo só rancor contra os 'porcos da raça ariana' que perseguem os 'pobres palestinos' em sua própria (?) terra, lá no outro lado do mundo??

o.O

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Nostalgia - III

Com pressa... sem muito tempo pra dar o carinho que os amigos merecem:


(Ordem alfabética)

Arthur: como sentir-se especial
Biá: fofura e sensatez
Dane: companheirismo
Douglas: admiração
Eveline: exemplo
Juan (João - pra mim): reconfortantes papos 'inúteis'
Jouse: tranquilidade
Lívia: praticidade
Lucas: transparência
Lyghia: exagero
Rafa: cumplicidade

Bjos

;)

domingo, 21 de junho de 2009

Folguedos


Você ainda não visitou os XXXIII Festival Nacional de Folguedos do Piauí por achar que o novo local (a Vila Olímpica do Detran -Houston?), é muito perigoso???

Deixe de bobagem e vá hoje mesmo (a não ser que você não goste desse tipo de evento, claro). Por alto, deve haver um policial para cada grupo de três pessoas...

Estive lá ontem e só tenho a enumerar vantagens em relação à época em que o evento era realizado na Potycabana.

Além da segurança, há local adequado para estacionar, é mais espaçoso, as atrações (folguedos, quadrilhas, praça de alimentação e parque) estão localizadas em local apropriado. Dá para andar sem tropeçar em alguém a cada passo - o que já faz uma diferença enorme. Até a decoração pôde ser melhor trabalhada.

Maaaaaaaaaas... sempre há um mas...

Cuidado com outro tipo de assalto. O dos barraqueiros.
O consumo de um pratinho de carne de sol, outro de creme de galinha (sem galinha), um refrigerante e uma água mineral custou R$ 12,50 (doze reais e cinquenta centavos - para não restar dúvidas).
É até compreensível (eu disse compreensível e não correto) que nesse tipo de local seja tudo caro. O inadimissível é que haja um preço no banner/cardápio e seja cobrado um valor maior na hora de 'fechar a conta'.
Sim, essa é uma situação real, que foi agravada pelo destrato com que o barraqueiro em questão se direcionava a seus clientes. E entenda por destrato: grosseria acrescida de uma cara amarrada.

Mas é aqui que surge mais um ponto positivo para a organização do evento. Uns cinco minutos após ser feita a reclamação, o tal barraqueiro foi notificado e, possivelmente, não participará de novos sorteios. Oportunidade é para quem merece.
Bjo!
;)

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Quem tem medo de jornalista com diploma?

Jornalista não precisa de formação superior.

Jornalista não precisa conhecer as teorias da comunicação.

Jornalista não precisa entender de semiótica.

Jornalista não precisa saber a diferença entre um lead e uma introdução de texto dissertativo.

Jornalista não precisa conhecer técnicas de reportagem, entrevista e pesquisa.

Jornalista não precisa estudar fotografia, diagramação, produção e edição para veículos impressos, eletrônicos e online.

Jornalista não precisa de formação superior.






Quem acompanhou os votos dos ministros do Supremo Tribunal Federal que derrubaram ontem a obrigatoriedade do diploma de jornalista para o exercício da atividade, assistiu a uma verdadeira aula de prepotência.

Ora, o argumento de que a obrigatoriedade da formação superior agride a liberdade de expressão e pensamento é, no mínimo, pífio. Ninguém precisa ser jornalista para falar ou escrever o que bem entender. Para isso há espaços reservados para articulistas em todos os veículos de comunicação e uma imensidão de possibilidades na internet (como este blog que vocês está lendo) e mesmo formas de comunicação alternativa, como fanzines (você sabe o que são meios de comunicação alternativos? Possivelmente, não, caso você não tenha estudado... jornalismo, por exemplo).

Dizer que a atividade jornalística é intelectual e não coloca em risco a vida de ninguém(diferentemente de médicos e engenheiros) também parece piada. O Direito é iminentemente intelectual e não implica risco à vida de ninguém. Mas nem por isso EU, JORNALISTA POR FORMAÇÃO (quase, diga-se), posso advogar ou pleitear uma vaga na respeitada máxima Corte do Judiciário brasileiro.

Concordo que não é a certificação de uma Instituição de Ensino Superior que irá moralizar a profissão, que não é a passagem por uma faculdade de jornalismo que irá carimbar a testa de um profissional e assegurar sua ética e decência. Mas isso por acaso é próprio dos jornalistas ou não há bons e maus médicos, bons e maus professores, bons e maus advogados, bons e maus engenheiros?

Mas... contra o STF, quem pode?

Basta agora esperar que os empresários não contratem cozinheiros no lugar de jornalistas formados e que o Ministério do Trabalho e Emprego não faça distribuição de registro profissional de jornalista a quem bem entender. Eu tenho registro de jornalista na Delegacia Regional do Trabalho mesmo sem ser formada: DRT 1750. E nem por isso abro mão do meu diploma, que receberei em alguns meses. Espero que meu patrão e as pessoas que lêem o que eu escrevo também façam questão dele.
Como diz a Nat: "pronto, falei!".

domingo, 14 de junho de 2009

Bravo! - II

...A primeira atração a subir ao palco (Opala, do Festival de Inverno de Pedro II, no sábado) foi a cantora de ascendência cubana, Marina de la Riva. Com seu repertório que mesclou canções brasileiras e cubanas, a "cantante" ainda pouco conhecida pela população em geral, fez com que a platéia cantasse junto músicas como o clássico latino "Drume negrita" e "Ta-hi", de Carmem Miranda. "Fiquei muito emocionada. Ver gente cantando, "Ojos Malignos", "Mariposa", não dá pra descrever. Pode ser piegas, mas é muito forte", afirmou. De la Riva ainda foi bastante simpática ao atender vários fãs conquistados por sua passión y latinidad... - Carlos Lustosa Filho, do Cidadeverde.com.

Eu estava entre as poucas pessoas que cantaram suas canções. Mas, felizmente, não fui a única a ficar impressionada com o belíssimo show apresentado por Marina no Festival. Com o cancelamento do show do Ed Mota (por motivos de saúde), em tese, ela foi o motivo que me levou a subir a Serra dos Matões.
A partir do texto do Carlos dá para imaginar quão boa foi a apresentação dela e dos cinco músicos fabulosos que integram sua banda. Simpaticíssima, De La Riva conquistou o público do festival não apenas por sua bela voz, mas por sua presença de palco marcante e seu poder de comunicação com o público.
Já nas primeiras canções, fez com que as feições do público mudassem de 'curiosas' para 'encantadas'. Aplausos ao final de cada canção e pedidos de bis foram boas formas de demonstrar o carinho recém despertado no público do Festival de Inverno de Pedro II pela artista até então desconhecida. Marina disse que quer voltar ao Piauí. E eu digo que todo mundo merece assistir a um show dela e de sua banda.
Bravo!
Bjos ;)

sexta-feira, 5 de junho de 2009

Carinho no trabalho

Flávio: Elizângela, liga logo para a Katiuscia antes que eu te abrace.

... Eliz faz cara de 'nojinho'.

Flávio abraça Elizângela: anda Elizângela, liga logo.

... Eliz faz cara de 'tenso, muito tenso'.

Flávio abraça e beija o ombro de Elizângela.

Biá: Flávio, sai da frente! Ela vai te bater e eu quero ver.



Nada mais belo que o carinho e o respeito entre colegas de trabalho.

Ação

Muito se falou nesse blog sobre o falatório do governo.

Mas quando o falatório vira ação, também se deve registar.

5 de junho é o Dia Mundial do Meio Ambiente. Para os interessados no assunto, e para os desinteressados também, fica o exemplo do Governo do Piauí. Hoje, o governador assinou 5 decretos 'ambientalmente responsáveis':

. O governo só firmará contratos com empresas que comprovem a compra de madeira legalizada/certificada;

. Todos os órgãos estaduais passarão a utilizar papel reciclado;

. Todos os órgãos confeccionarão estudos de emissão de CO2 para uma posterior compensação da mesma (esses órgãos passarão a ser carbono neutro);

. Todos os veículos utilizados pelo governo do estado passarão a ser abastecidos com biocombustíveis;

. Todas as lâmpadas incandescentes dos órgãos que compõem a administração estadual serão substituídas por lâmpadas fluorescentes;



Nesse caso, vale a máxima do 'antes tarde do que nunca'.


Bjos!!

;)

quinta-feira, 4 de junho de 2009

O que faz você feliz?

Eu faço parte de uma comunidade no Orkut chamada "Depressão Momentânea". É estranho, mas ao mesmo tempo reconfortante saber que você não é a única pessoa perturbada a ponto de sentir-se 'deprimida' do nada, sem motivo aparente ou coisa que o valha.

Dando uma olhada na comu, em meio aos muitos tópicos sobre "como", "por que" e "quando" as pessoas se sentem tão down, encontrei um com uma lista de motivos para não deixar essa 'depressão momentânea' tomar conta de você.

Interessante como poucas pessoas responderam ao tópico. Talvez seja porque preferimos nos lamentar, mostrar nossa fragilidade e necessidade de sermos cuidados.

Pois bem... aqui vai uma breve lista do meu 'o que faz você feliz':

. (O)mar
. colo de pai e mãe
. conversa fiada com amigos
. cafuné do namorado
. música
. viagem
. ganhar presente
. presentear
. 'andar de ônibus' (vazio, por favor) pela cidade, sem pressa, observando as pessoas 'do lado de fora'
. dança (ver ou praticar)
. festa de reveillon
. escrever
. roupa e sapato novo
. brigadeirão/ cheesecake de goiaba
. achar dinheiro perdido em algum bolso
. sentir o anti-alérgico funcionar no auge do 'espirra-espirra'
. reencontrar amigos antigos no Orkut
. show de cantores/bandas muito esperados
. receber pedidos da Natura
. caranguejada com música alta e gente fazendo papelão por causa do álcool
. tirar o sapato de salto depois de uma festa ou de um dia de trabalho
. dizer 'eu sabia' após alguém reconhecer que eu estava certa - mesmo tendo ignorado meus conselhos
. blogs de sub-celebridades
. festa de formatura (dos outros)
. descobrir cantores e músicas novas
. abraço bem dado


Bjo
;)

terça-feira, 2 de junho de 2009

Ocupada II




Perguntando-me se há mesmo algo a comemorar no Piauí pela passagem do Dia da Imprensa (1/06)...


Será? Será?

BJO!

;)

segunda-feira, 1 de junho de 2009

Ocupada


Realizando a árdua tarefa de decidir quais os scraps de felicitações natalíceas a que devo responder...


BJO!!

;)

domingo, 31 de maio de 2009

Sem soprar velinhas!

Virada no Boemia.
Amigos queridos.
Presente do Rafa.
Ligações.
Saudades.
Almoço de Tia Erinelda.
Sorvete por minha conta.
Trabalho.
Brigadeiro de Biá.
Bolo da padaria - By Eliz.
Homenagem de colegas.
Desabafos no MSN.
Saidinha com amigos.
31 de maio.
23 anos.

sexta-feira, 29 de maio de 2009

PI Fashion Week

Eu entendo nada ou quase nada de moda, mas me diverti horrores no Piauí Fashion Week.

Obrigações profissionais me levaram até lá na noite de abertura (ontem), mas eu não poderia imaginar quão legal seria. Carinhas conhecidas, coleguinhas do Meio Norte (cobertura exclusiva), muitas sacolas e brindes. Ri um bocado, vi roupas lindas. Vi roupas bizarras. Gente bizarra também.

Vi ainda: muitos lenços, rendas, shortinhos, coletes, estampas indianas (novela da globo + filme de hollywood... previsível), tecidos armados e soltinhos também, balonês, estampas florais, babados, volume, sobreposições e colorido.

Ou seja, todo mundo pode usar o que bem entender porque a moda made in Piauí também é muito democrática.

Fotos dos looks quando eu roubas as que o Jr. Araújo fez, ok?

Bjos!!

;)

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Música nova...

'Eu só quero acabar com você', música nova da Validuaté, saindo do forno da masterização, em: www.palcomp3/validuate.

Letra e música: Thiago e

Traz uma cachaça pra ver se passa
a escuridão!
Porra de vida!
Ah, se ele já não me abraça
o peito ga-gagueja
a raiva doída

Partiu com aquela pessoa paia
Partiu com uma pessoa mais feia do que eu

Enche o copo!!

Tomara que sempre chova em todas as tuas festas
Tomara que tu tropeces em todas as pedras
Tomara que tu sempre enfrentes filas enormes
E mesmo morrendo eu não quero mais que tu retornes
Eu só quero acabar com você!


Para pessoas amarguradas; e para as não amarguradas também.


Bjos!!

;)

... blog novo


Atenção, fãs, admiradores, seguidores ou mesmo quem ainda não conhece Validuaté!!

A banda está com novo/antigo blog.


O endereço é o mesmo: http://www.validuate.blogspot.com/... porém, o layout está de cara nova, o conteúdo atualizado com todas as novidades da banda. Lá também links para novas canções e do perfil da Validuaté no Twitter.


Vale a pena conferir!!
Aprecie sem moderação.

Bjos!!

;)

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Anotem aí!

A banda Validuaté, uma das mais elogiadas no cenário da música piauiense atualmente, comemora no próximo sábado(30/05), com show no Centro de Artes Boemia, localizado próximo ao condomínio Morada dos Orixás, no Jockey, seus cinco anos de existência. O show deste sábado trará surpresas para o público presente, como novidades do novo CD da banda, intitulado 'Alegria Girar', e que será lançado no dia 23 de julho, no Teatro 4 de Setembro.

Ah, e é comemoração do meu aniversário também!!

Bjos!!

;)

segunda-feira, 25 de maio de 2009

Pre-po-tên-cia

... é quando um deputado se recusa a passar suas malas pelo aparelho de raio-x de um aeroporto qualquer e ainda xinga as servidoras da Infraero que estão apenas realizando seu trabalho - coisa que classe política brasileira pouco conhece.

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Ser jornalista é...

... uma arte. A arte de levar más respostas e fazer sua melhor cara de paisagem:

Vanessa: mas, deputado, o senhor acredita que o senador Mão Santa teria apoio e ganharia, na convenção do partido, uma vaga para concorrer ao senado pelo PMDB?

Themístocles Filho: minha filhinha, eu não sou 'advinhão'.

TOME!

Como vai o seu dia?

Como vai o seu dia?
Nossa, que bom!
Como vai o meu? Tire suas próprias conclusões:


Acordei mais cedo que costumeiramente para regularizar algumas questões relacionadas a meu estágio em Relações Públicas lá na Uespi. Meia hora para receber um ofício e um termo de estágio. Acho que ainda assim foi menos demorado do que quando da inscrição no meu estágio em Jornalismo.

Greve de ônibus. Frota 100% parada. Apenas alternativos circulando. Uma hora e 10 minutos em uma para onde eu teria três opções de linha. Ônibus tipo intermunicipal lotado. Gente na escadinha tendo de descer para que alguém pudesse passar por lá a cada parada. Gente irritada, suada, esmagando-se. Muito calor, pouco vento, sol queimando através das janelas.
"Ei, esse ônibus não passa no Bela Vista não?"
"Não. É shopping"
"Pois me dê meu R$, que eu peguei o ônibus errado"
"Não posso devolver seu vale"
"Mas o motorista disse que era Bela Vista e eu só tenho esse vale"
"O senhor desce na Frei Serafim e pega outro ônibus"
"Mas eu só tinha esse vale, minha filha. Devolva meu vale"

Para evitar maiores transtornos em uma situação já de transtorno extremo, a cobradora devolveu o vale daquele senhor.

"Ei, diz aí que é pra descer no lojão"
"Diz tu. Num tem boca não?"

Havia gente realmente irritada.

Mesmo sem o motorista conhecer o percurso ou os pontos em que o ônibus deveria chegar, consegui bater o ponto na catraca do jornal às 9h40. Quarenta minutos de atraso. Um tempo depois, a má notícia já esperada. Ainda não é hoje que meu salário vai sair. Ao menos consegui ligar para a operadora do meu cartão de crédito e ganhar um prazo de dois dias para fazer o pagamento da minha fatura. Mais tarde vou resgatar um cheque de vencimento para o dia 9 de maio. E ainda são 13h.

E então, como está indo meu dia?

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Agradecimento

Muitos de vocês devem conhecer Elivaldo Barbosa, um dos mais populares repórteres da TV piauiense, certo? Porém, nem tantos assim devem conviver com Elivaldo. Apesar de ter contato com ele apenas no trabalho, pautas afora, acho que a figura dele desmistifica um pouco essa imagem de 'todo-jornalista-é-cobra' que há por aí. Ou, na pior das hipóteses, ele é uma das exceções que justificam a regra.

Dois anos atrás, quando comecei a escrever para a editoria de política, passei por algumas dificuldades. A principal delas era conhecer poucos atores do cenário político. Desde o primeiro momento identifiquei em Elivaldo Barbosa uma espécie de 'porto-seguro'. Ninguém conhece mais autoridades, suas funções e ações no mundo político do Piauí do que Elivaldo Barbosa - em tempo real.


Ele poderia ter tido um ataque de estrelismo e me dado um corte logo na primeira vez que perguntei: 'Elivaldo, quem é esse aí mesmo?'; mas, não. Simpático e humilde, Elivaldo Barbosa me dizia, em tempo real, não apenas de quem se tratava, mas destrinchava todo o contexto em que a personalidade em questão estava inserida.

Hoje, isso já não acontece mais. Porém, com a mesma simplicidade de dois anos atrás, ele me dá sugestões de pauta e aceita as minhas. E também com a mesma humildade, ainda me diz um sempre educado 'obrigado'. Que é isso, Elivaldo? Quem agradece sou eu!


BjoS!!
;)


PS: gente, não sei quem é Elivaldo Borges, mas, obviamente, não é Elivaldo Barbosa nem Erisvaldo Borges.. kkk... é o estresse... obrigada pela colaboração, 'anônimo'.. kkkk

terça-feira, 12 de maio de 2009

Frustração

Meus agentes infiltrados no cerrado piauiense me informaram que no sul do estado há um prefeito que decretou emergência no município que administra, alegando haver 600 famílias desabrigadas. Porém, na cidade não há nenhuma casa debaixo d'água. Os documentos para a decretação do estado de emergência seriam forjados. O interesse do gestor seria fazer compras sem licitação nsupermercado de sua propriedade. Falcatrua indo e voltando.

Porém, meu local de trabalho não tem interesse em me mandar averiguar in loco. Aliás, não é desinteresse. É falta de opção. Estou frustrada. Sinto meu primeiro Prêmio Esso de Jornalismo escapando.. kkkkk.

BjoS!

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Vergonha alheia

Ai, não sei o que me deixa mais envergonhada: a visita de solidariedade (e só) do Lula ou o povo do PSDB aproveitando a inutilidade da vinda do presidente para fazer politicagem. Ai!

terça-feira, 5 de maio de 2009

Dia estranho...

Definitivamente, hoje foi um dia atípico. Não porque o Lula esteve em Teresina. Ao menos não por isso espeficicamente.

Primeiro, eu consegui enrolar o assessor de imprensa da Presidência da República (que é nada mais nada menos que um policial federal) com a melhor cara-de-pau que Deus me deu. Não sei onde eu tirei coragem para quase obrigar o cara a me deixar entrar, mas... quem tem boca entrevista o Lula, não é mesmo?

Depois, o ministro das Cidades, excelentíssimo senhor Márcio Fortes, simplesmente deu o número do telefone dele para quem quisesse anotar. E repetiu: "anotem aí, 61, que é de Brasília, 9121 ****". Adooooooro! Só faltou dizer que quem quisesse poderia ligar a cobrar.


Bjos!!

;)

segunda-feira, 4 de maio de 2009

Lula aqui

Lulinha chega amanhã, às 10h, ao Piauí. Lulinha vem vistoriar a cheia do Rio Poti, em Teresina. Lulinha vai sobrevoar o rio e visitar o dique do Poti Velho, na zona Norte, cuja ampliação até o Mocambinho foi garantida por R$ 10 milhões liberados pelo Ministério da Integração Nacional. Lulinha vai aproveitar para beijar criancinhas, abraçar idosos desabrigados, distribuir simpatia nesse momento de dor.




Em quê a visita do Lula vai ajudar a diminuir a vazão do rio?
Em quê a visita do Lula vai amenizar a situação dos desabrigados?
Por que motivo o Lula não assina uma Medida Provisória diminuindo a burocracia da liberação e aumento a fiscalização da utilização de recursos para atendimento emergencial aos desabrigados?


o.O

sábado, 2 de maio de 2009

Lições


Se alguém me dissesse que conhece um vendedor de pipocas que ganha cerca de dois mil reais por mês, que comprou uma casa confortável, criou seis filhos e agora cria cinco netos apenas com a renda das vendas de pipocas, talvez eu questionasse a informação.

Porém, eu CONHECI, no festival Sabor Maior, em Campo Maior, o seu João Pipoqueiro. Muito bem trajado, de camisa e calça sociais, o seu João - que faz questão de ter o 'Pipoqueiro' atrelado ao nome, lucra em média R$ 400,00 por evento de que participa - sim, ele se dá ao luxo de vender pipocas apenas em eventos. "Na rua não rende; é muito fraco", argumenta. O lucro de seu João é quatro vezes maior que o valor que gasta com milho, óleo, sal, manteiga, copos descartáveis e gás.

O seu João Pipoqueiro chega a viajar 400km para vender pipocas em algum evento. E gaba-se de sempre conseguir fazer boas vendas: "No Piauí Pop, por exemplo, eu já cheguei a fazer 1.600 reais em uma noite". Hoje, possui três carrinhos. Além de vender pipocas, ele 'administra' a venda feita por seus colaboradores. O objetivo dele é comprar mais dois carrinhos. Isso é que é empreendedor!

Ex-carpinteiro, seu João afirma, reiteradas vezes, que tem ORGULHO de ser pipoqueiro. Taí o tão buscado segredo do sucesso: gostar do que faz, fazer bem feito e orgulhar-se disso.

Quem estiver interessado em contratar seu João e suas pipoquinhas doces e salgadas, basta ligar para o gato: (86) 94388801.
Aaaaaaaaaaah, e falando em Sabor Maior... alguém lá do Sebrae teve a brilhante idéia de me colocar como jurada do Festival Gastronômico. Ao todo, provei 15 pratos feitos à base de carneiro, carne-de-sol e capote, tudo bem típico da terra dos carnaubais. Pois bem, ia tudo muito bem até o oitavo ou nono prato. Depois disso... bem definiu o deputado Mauro Tapety: "estou lhe fiscalizando. Você está só biliscando. Deveriam ter colocado alguém com estrutura para a tarefa". kkk... alguém com estrutura, tipo... é... ele!

Falando sério, as receitas estavam deliciosas (coisas como 'costeletas de carneiro ao molho de limão', 'torta de carne de sol com iogurte', 'medalhão de filé de carneiro com molho de ervas'). O mais legal era ver os donos de restaurantes e chefs que participaram da disputa orgulhosos e sentindo-se valorizados. Pra mim, valeu pela boa comida e pela possibilidade de ajudar aquelas pessoas a terem ORGULHO de sua profissão.
BjoS!!
;)

quinta-feira, 30 de abril de 2009

PII


Há três anos digo e reafirmo durante uns dois meses que vou ao Festival de Invero de Pedro II, mas uma semana antes acabo desistindo. Em geral, por conta do trabalho. Mas dessa vez estou 'decidida'; nem que minha mãe (pessoa que mais amo) me chame pra ir para a praia (lugar que mais amo) eu desisto.

Motivo? Duas pessoinhas chamadas Ed Motta e Marina de La Riva. Gosto muito de Ivan Lins e João Bosco, que também se apresentarão no Festival, mas a música de Ed Motta e de Marina de La Riva me faz feliz. Ed é conhecido pela sofisticação de sua sonoridade e pelo poder de seu vozeirão. Marina, pouco conhecida pelo grande público, tem a latinidade no nome, no som e na voz. Simplesmente encantadores - cada um a seu estilo.

O lançamento oficial do Festival acontece no dia 12 de maio, durante café da manhã na sede do Sebrae. A edição 2009 do Festival de PII, como é carinhosamente conhecido, será realizada de 11 a 14 de junho. Dá tempo para todo mundo se programar (ok, Decididas e PQDs?).

BjoS!!

;)

terça-feira, 28 de abril de 2009

TCC II - A MISSÃO

Após um TCC de jornalismo feito em tempo recorde e aprovado com nota 10 (rá rá rá - eu tenho de me gabar...), surge um novo desafio: fazer um Trabalho de Conclusão de Curso de Relações Públicas.

Dessa vez, tivemos (Lívia e eu, com o reforço da Dan) uma idéia menos complexa, pero no menos trabalhosa, que a do livro-reportagem sobre o PDV de 1996. Resolvemos desenvolver um projeto de RP para o lançamento do 2º CD da Validuaté (banda tantas vezes citada em coisasdevanessa.blogspot.com), o
Alegria Girar!

Relações Públicas é uma das profissões mais promissoras da atualidade, envolvendo comunicação corporativa, comunicação estratégica, comunicação direcionada. Apesar disso, é pouco explorada no Piauí. Em resumo, pode-se dizer que é o conjunto de ações e estratégias de comunicação para criar e manter uma boa relação com os stakeholders (públicos interno, externo e misto) de uma organização ou pessoa (o que quer que seja o nosso cliente, aquele que paga por nossos serviços de consultoria comunicacional).

Mesmo tendo pouco mercado por aqui, RRPP tem me deixado empolgada. Talvez pelas amarguras enfrentadas no jornalismo (que é o que faz meu coraçaozinho bater mais forte) ou pela necessidade de sempre termos novos desafios. O fato é que há muito espaço a ser desbravado nesse ramo e em breve teremos a 1ª empresa de RRPP do Piauí - mas isso é assunto para oooooutro post, daqui a algum tempo.

Por hora, é a agenda da vez é o
TCC II, A MISSÃO!!


BjoS!!

;)

Garagem

E como os meninos do Validuaté são mocinhos adiantados até quando o assunto é Relações Públicas, estão inscritos naquele quadro 'NA GARAGEM', do Domingão do Faustão.

O esquema do quadro é bastante simples: a parte deles foi mandar dois vídeos para a produção do programa (Ela é e Podes Crer na Dúvida); a parte da produção foi alocar os videos no site oficial do quadro (
www.tvglobo.domingaodofaustao.globo.com/garagem-do-faustao); já a nossa parte é entrar no site, procurar as músicas da Validuaté e VOTAR. As bandas/cantores/músicas aparecem no domingo, em rede nacional, para qualquer um ver.

Simples assim.

Ah, e para quem ainda não conhece, também tem Validuaté no Orkut, no Myspace, no Palco MP3, no Twitter, no
http://www.validuaté.blogspot.com/ !!

Apreciem com ou sem moderação.

BjoS!! ;)