domingo, 30 de setembro de 2007

Mundo cruel

Mundo cruel


Rafael, vascaíno doente: “Vascooooooooooooo”;

Vanessa, flamenguista sofredora: “eu vi o jogo. O Vasco deu sorte... num é todo time que joga mal e faz três gols”;

Rafa: “jogar bem não é jogar bonito. Futebol é um esporte de resultados”.



Desde que a Copa do Mundo feminina de futebol começou (láááá na China), não se ouviu falar em outra coisa sobre o mundial (aqui no Brasil) que não o quanto o futebol das brasileiras é bonito, alegre, festivo, irreverente. Com uma campanha invicta, Marta e companhia chegaram à final com cara e jogo de campeãs. Mas futebol é esporte de resultados. Não adianta jogar bonito, ganhar todas as partidas e perder a decisão do título. Ainda não inventaram o troféu “Perdeu, Mas Jogou Melhor”. Cruel, isso.

O futebol bonito do Brasil não resistiu à truculência das alemãs. Sem o brilhantismo dos jogos anteriores, Marta (a cara e o coração da equipe - além de atual melhor jogadora do mundo, segundo a Fifa) perdeu até pênalti. Resultado: 2 a 0 para a Alemanha. É.. odeio quando o Rafael tem razão... Cruel, isso.

A seleção de Marta (eu também odeio essas ‘personificações’, sei q ela não joga sozinha, mas acho que nesse caso cabe) já é um divisor de águas na história do futebol feminino brasileiro, colocou o Brasil entre as melhores seleções do mundo (apesar de toda a falta de estrutura, de apoio e tudo o mais que se puder imaginar), foi a primeira a estar em Copa do Mundo, é campeã pan-americana. Mas se os dirigentes não quiserem colaborar, isso não poderá ser concretizado em ganhos reais – e não falo apenas de dinheiro... Cruel, isso.

Hum... eu só espero que elas não adquiram a síndrome de vice... não virem um timinho fuleiro que nem o Vice da Gama, que sempre nada e nada para morrer na praia (essa parte não tem nada a ver com o resto do post... mas eu não iria perder a oportunidade de frescar com o Vasco - rsrs)


Em tempo, essa é a escalação das titulares:

Andreia;
Elaine;
Aline (Kátia - ??);
Tânia (Pretinha);
Renata;
Ester (Rosana - ??);
Maycon;
Formiga;
Daniela;
Marta;
Cristiane.

Ah, e o (pobre – ou não) técnico: Jorge Barcellos

4 comentários:

Ricardo Soares disse...

não se engane com ciro gomes como parece ter ocorrido com um post recente seu... essa oratória de rábula, de pseudo encantador de serpentes, de coronelzinho arrogante esconde um espirito ciclotimico e perigoso pra os destinos do país... acredite que sei o que estou dizendo... conheço o megalomano...dê uma olhada no meu post de hj e esteja sempre atenta...ciro é apenas um chantilly... não resiste e se desmancha à primeira colherada ou quando toma um calor...parabens pelo blog...
ricardo

Marcilio Costa disse...

Vanessa, em primeiro lugar: qual foi o time carioca campeão brasileiro pela última vez? qual foi o time carioca campeão brasileiro pela penúltima vez? Ou seja, flamenguista não pode falar do Vasco; não tem mérito pra isso. Os flamenguistas, como diria Paulo H. Amorim (falando, na verdade de FHC), é como o Farol de Alexandria: vive a fazer luz sobre o passado. O urubu é fracassado, mesmo sendo o único time brasileiro que recebe dinheiro público, nosso, que é o da Petrobras. Tá?

dalyne disse...

o rafa é o Rafa né?? num é o Fael naum né???
rsrs

aí foi cutucar o Marzé! rsrs

Xêru!

...já tinha lido mas só quis comentar agora...

Júnior disse...

oh god!