domingo, 27 de janeiro de 2008

BBB

Eu assisto ao BBB (confesso que em edições anteriores estive muito mais interessada na vida dos confinados/futuras celebridades - espero eu, efêmeras - do que nesta 8ª).

Não vou defender teses psico-sabe-se-lá-o-quê e dizer que “assisto ao programa porque essa é uma ótima forma de analisar e tentar compreender o comportamento humano” ou dizer que “fico zapeando a TV e POR ACASO dou uma espiadinha”. Para mim, é entretenimento, novelinha manipulada pelos editores. Pronto! SÓ isso! Não vou perder meu tempo votando em A, B ou C, nem deixar de sair na terça com os amigos para ficar em casa à espera do resultado do “paredão”.

Também não vou negar que o programa é um fenômeno de comunicação, que tem uma penetração incrível nos mais variados segmentos do aglomerado amorfo de indivíduos que compõem a audiência (a tal massa). Mas também não dá para ficar glorificando-o como se fosse de uma genialidade fora de série. Já disse. É uma novelinha. Um folhetim sem falas pré-definidas (mas instigadas).

Vocês podem achar que eu estou em cima do muro. Não é isso. Apenas acho interessante esse negócio de “BBB – ame-o ou deixe-o” que parece tomar conta das conversas entre amigos, colegas, parentes, desconhecidos nas filas de banco, do açougue. Não critico quem fica debatendo, confabulando, falando, falando e falando em BBB. Só acho que é possível assistir ao programa sem ele se tornar prioridade na vida de todo mundo.

Ah, melhor eu nem falar o que penso sobre a “Gy”... ai, tá, depois eu faço um post sobre essa loucura de Gy pra lá, Gy pra cá, tá, Diego?

Bjo!

P.S.: João Paulo Mourão, a mente mais avançada entre os estudantes de Jornalismo/Direito de Teresina, será o primeiro a comprar meu livro!!! (kkkkkkkkkkk – depois eu explico)

4 comentários:

dane_ly disse...

eu, tenho pra mim, que esse post é uma explicação do pq tu assiste o bbb...............

dane_ly disse...

pq?

dane_ly disse...

pq?

Isaque , disse...

Eu teria algo para comentar. Mas, pareceria grosso e levantaria o tom da palavra.
Fiquei sem aparecer um tempão aqui, Vanessa! Estava viajando, aproveitando o bucolismo e refletindo sobre coisas fúteis.
Beijos.