quarta-feira, 12 de março de 2008

Isabella Taviani

"Perdoa essa loucura de querer te machucar
Achando que assim você vai recuar
Perdoa esse meu jeito
De não dizer que sim
Sei que o universo não se resume em mim"



Ouvi essa música e senti-me um pouco menos "ET". O nome dela é "Argumento ineficaz" e fala de uma pessoa auto-referencial, que se distancia de quem gosta por medo de se apegar demais e acabar deixando de lado o seu próprio mundo. Porém, ela se arrepende quando percebe que, na verdade, queria estar próxima desse alguém, mesmo agindo e demonstrando o contrário.

O que isso tem a ver comigo? Só tudo - a não ser pela parte do arrependimento. (Não, Hugo, não me refiro a algo pontual.... esse é um cometário genérico)

As pessoas acham estranho. Eu não consigo entender. Mas que bom que não sou a única criatura desse mundo a cometer tamanha incoerência. Que bom que isso até dá samba, ou melhor, pop.

Durante toda a minha vida, fugi das pessoas por quem realmente me interessei. Quando o negócio "engrenava", caia fora com a maior pressa do mundo. Como diz a canção, "é que eu amo demais e isso me atordoa à toa", "tenho medo". Nada me apavora mais que a sensação de que posso parar de viver "só" para mim. Sei que ter alguém para compartilhar as coisas deve ser ótimo. Mas as cobranças, as satisfações, as "obrigações" me apavoram. Cobrar, tomar satisfações ou impor obrigações não me deixa em um papel confortável. É.. sou realmente muito egoista.



Sobre Isabella Taviani
Uma descoberta que, mais uma vez, devo a Larissa Gomes. Algumas músicas são bobinhas, têm rimas pobres, do tipo "dor" com "amor" e "paixão" com "coração". Mas a maioria delas são autênticas. Falam de sentimentos sem excesso de frases melosas e até quando acontece isso, há algo de inusitado: "prometo para sempre ser fiel ao nosso encontro", "eu não quero roubar você, eu quero é que você se dê", "eu me matei por não saber me viver". Recomendo!

Valeu, Larissa!

Bjo!

4 comentários:

Anônimo disse...

e hj acordei cedo p lê os jornais, depois os blog e vejo no q me deparo?

tuntum, tuntum, tuntum...

q negócio de egocio de egoísta!

Sua hora, sua vez!

Hugo

Ly... disse...

depois d tentar por várias vezes resolver esse distúrbio bipolar d minha amiga vanessa, eis q surge alguém c/ 'problema' semelhante...isabella rsrsrs
sugiro q ambas conversem e encontrem uma solução p/ tal impasse
=P
brincadeira miga...mas dsde qnd autonomia e liberdade foi egoísmo?!

=*

dane_ly disse...

você já parou pra pensar que amar não tem qeu ser virar a outra pessoa? e sim, apenas, ter um companhia para viver? e que a questão das cobranças pode ser resolvida com um diálogo aberto?? uma simples D.R. como dizem..

já? já?

a gente não precisa sempre se adequar à vida. às vezes podemos fazer umas adaptações pra que a vida seja mesmo nossa...rs

(é que hj é dia da poesia... rs)

Marcilio disse...

Vanessa, tem uma daquelas frases de internet, que a gente adora, que diz assim: "egoísta é aquela pessoa que pensa mais em si mesma do que em mim"; mas o Grouxo Marx tem uma bem mais bacana: "deixei minha mulher porque ela era muito infantil; sem nenhum motivo, afundou todos os meus barquinhos". Mas a do programa mais intelectual da história, Chaves, é melhor ainda. Quando a D. Florinda sugeriu ao Prof. Girafales que falassem sobre ele, a resposta foi essa: "não! eu detesto falar de mim mesmo. por que não falamos da senhora? o que acha, o que sente, o que pensa sobre mim...".
Você não é egoísta assim. É que está à frente do mundo que te rodeia; quando a sociedade chegar ao seu patamar, será bem melhor.
Você que interferi em todo o mundo, e não ser de alguém, "exatamente esta coisinha, esta coisa toda minha, que ninguém mais pode ser..." (by Vinícius de Moraes).
Quando souber lidar com 'um' alguém, sem se perder do mundo (ou vice-versa), você vai se encontrar.

Marcilio
PS: Dá uma lida no comentário que fiz no post do texto do Prata.