domingo, 13 de abril de 2008

Das pessoas difíceis

É o que se chama por aí de "pessoa difícil". Desde sempre; no primário já tinha dificuladde de relacionamento com os coleguinhas. Chegou à velhice sem filhos, sem uma companheira, tampouco um companheiro. Algumas plantas (a quem ele nem dá muita atenção) servem de "consolo". O bolso dele agradece. Botijão de gás, por exemplo, trocava uma vez por ano. Contas de água, energia elétrica, telefone? Quase zeradas.

Bom profissional, premiado, admirado por seus colegas. Mas... hum... já disse que ele é uma pessoa difícil? Todos gostam dele, de sua conversa - desde que o contato não passasse de meia hora. É que a partir daí, em geral, ele começa a deixar claro o por quê da má fama alcançada com tamanha naturalidade.

Filho zeloso, irmão prestativo, amigo generoso, até bom namorado. Só que aquele gênio dele... nossa! Nem ele mesmo sabia lidar com seus ataques e neuras. Tanto não sabia, que não admitia a existência deles: "As pessoas dizem que sou temperamental... Sou nada!". Passva sábados e domingos comendo pizza sozinho. Mora perto da mãe e de dois dos seus cinco irmãos. Quando batia a solidão, fazia visitas a eles ou lhes convidava para a sua casa.

Viver sozinho é opção sua. É uma questão de bom senso. Ele sabe que apesar de às vezes ser até simpático, é uma pesoa difícil. E melhor viver só do quer ser má companhia para os outros.

Uma história real que me faz ter medo do que vai ser de mim daqui a alguns anos!! rsrsrs

Bjos!

2 comentários:

Hugo disse...

rum...

Natacha disse...

vc ta falando de quem eu to pensando que vc ta falando???
discritiiiiiin
hehehehe