terça-feira, 19 de junho de 2007

O cara

O cara nasceu ‘no Crato’ (Ceará); o cara tem voz e linguagem inconfundíveis; o cara é humilde, espirituoso e simpático; o cara tem mais de 30 anos de jornalismo; o cara já foi correspondente de guerra; o cara já fez matérias em Botsuana, Comodo (alguém sabe onde fica isso?), Galápagos, no Pólo Norte... e no Pólo Sul também; o cara não deixa Pernambuco por nenhum outro lugar do mundo.

Em 2005 tive uma grande decepção ao assistir a uma palestra de Ricardo Noblat (p mim, um dos maiores profissionais do jornalismo brasileiro). Decepção pela expectativa por mim criada e pelo vazio de suas palavras. N semana passada, participei de uma palestra com o Francisco José (do Globo Repórter - isso mesmo, ‘aquele que só faz matéria sobre natureza’). Surpreendi-me com ele também. Porém, dessa vez, positivamente.

Mais que falar sobre jornalismo, suas andanças (por mais de 40 países), suas experiências profissionais, Francisco José provou que é possível sobreviver nesse meio com integridade. Digo isso não apenas porque manteve seu sotaque apesar de isso ir contra o tal “padrão Globo de qualidade”, mas por trabalhar com a seriedade que a profissão merece. Hoje, ele faz tudo que a maioria dos jornalistas sonham: faz as matérias que bem entende, com a estrutura e o orçamento que precisa e (o que mais causa inveja) com tempo suficiente para produzir um bom material. Duas semanas, no mínimo, para fazer uma matéria como lhe der na cabeça...

Ah, cheguei à conclusão de que ele é ‘o cara’ pela quantidade de vezes que, ao longo dos cerca de 80 minutos de palestra, eu disse/pensei: “o cara se garante”.
Bjooooooooooo

p.s.: viciada em “Natiruts Reggae Power”

Um comentário:

Morrer [de Rir] ... disse...

estou apaixonada por Validuaté... ela soh queeerrr serrr... mas o pior é que ela É!! =P