terça-feira, 5 de junho de 2007

Meus 20 e poucos anos




Obs: post um tanto atrasado...

“Hoje vai ter uma festa, bolo e guaraná, muito doce p vc...”. Quando eu vi a letra desta música (da Xuxa !!!!) no nick do Diego (o mais ‘emo’ dos headbengers do mundo) logo cedo, pensei: esse ano, meu aniversário vai, no mínimo, ser divertido. E foi. Foi divertido, emocionante, surpreendente.

Dia 30, sqci meu celular na redação. Pedi p o Di guardar. E ele guardou... na mochila. Resultado: teve de passar a manhã do dia seguinte dando uma de “telefonista oficial da Vanessa”. Coitado!! E coitada da minha mãe, que me ligou desesperadamente, umas trocentas vezes e quando não ouviu o “este telefone está desligado ou fora da área de cobertura” escutou uma voz grossa dizendo: “a Vanessa sqceu o telefone cmg”.

Fora esse detalhe, foi um dia mesmo muito especial. Meus colegas de redação fizeram uma surpresa com direito a bolo, brigadeiro (Naty, tava quase bom..rsrs) e discurso. Meu chefe (q diz ser leitor assíduo deste blog) caprichou nos elogios e qse me matou de vergonha (rsrsrs). Já eu tive a oportunidade de agradecer em público por tudo que ele tem feito por mim e por tudo que tenho aprendido com ele (valeu, mais uma vez, Raimundo!). O bolo estava bom e os abraços mais ainda.

Sem festinha em casa, passei o resto do dia recebendo mais abraços, beijinhos, ligações e votos de felicidades... certos recados via Orkut também têm lá seu valor. Ah, dei uma passadinha no Favorito com uns amigos q vieram me visitar (nam, foi meu tio q pagou..rsrsrs).

Mas o melhor estava por vir... festinha surpresa (q eu já havia descoberto, mas colaborei p não estragar). Se a festa já era uma certeza para mim, encontrar Ed, Juan, Eveline, Marcelo e Fabrício foi algo q eu não poderia imaginar; achei que seria apenas aquele pessoal de sempre (mas não menos importante). Poxa, acho q não nos encontrávamos desde 2005! Quantas recordações dos bons tempos de Diocesano, de sofrimento nas mãos do padre Florêncio, de ir p o sítio Santo Inácio, de ouvir Juan chamando-me de ‘Banessa’, de tentar acompanhar as incursões amorosas de Lyghia Maria, de compartilhar cada segundo de minha vida com Diline.

Já escrevi neste blog que ter amigos é uma dádiva... não é exagero meu. Às vezes, reclamo da vida, digo que todo mundo faz de mim gato e sapato, que desculpo as pessoas muito facilmente e que elas se aproveitam disso p me usar. Besteira minha! Que importa se algumas pessoas são baixas a esse ponto? Caramba, há tantas outras que me amam, respeitam-me, admiram-me (e do jeito que eu sou); isso é que realmente tem valor. Aos meus amigos da Uespi e do Ódia (heroicamente representados por Marthinha e Diego) meu enooooooooooorme agradecimento, que só não é maior que o carinho que sinto por vocês.

Bjinhos especiais para Karlinha (a super promoter), Dane (pior enroladora de aniversariante que já vi – mas valeu pela boa intenção), Lívia Má (aprovada no quesito confecção de fofão).


p.s.: post quilométrico, mas de coração...

Um comentário:

dalyne disse...

wlw!
tbm...foi a ultima vez!